11ª edição do “Olhar de Cinema – Festival Internacional de Curitiba” começa nesta quarta-feira

Nesta quarta-feira (1º), começa a 11 ªedição do Olhar de Cinema – Festival Internacional de Curitiba, um dos mais importantes eventos voltados à sétima arte do Brasil, e que retorna ao formato presencial com parte da programação online. A ação vai até 9 de junho.

Ao todo, mais de 100 filmes, entre curtas e longas-metragens, foram selecionados para o festival por meio de uma curadoria especial. Eles estão divididos em 10 mostras participantes, cada uma com uma temática.

Para o coordenador-geral do Olhar de Cinema, Antonio Gonçalves Junior, o festival é a melhor oportunidade das pessoas em Curitiba conferirem o que está sendo produzido no mundo todo e que, na maioria das vezes, não chega nas salas de cinema.

Neste ano, o público poderá conferir sessões no Cine Passeio (Rua Riachuelo, 410 – Centro), no Cinemark do Shopping Mueller (Av. Cândido de Abreu, 127 – Centro), na Cinemateca de Curitiba (Rua Presidente Carlos Cavalcati, 1174 – São Francisco), no Museu Oscar Niemeyer (Rua Mal. Hermes, 999 – Centro Cívico) e no Teatro da Vila, na Cidade Industrial de Curitiba (Rua Davi Xavier da Silva, 451 – CIC).

Haverá ainda exibições online, que ocorrerão do dia 7 até o dia 9 de junho no site do festival. Dentro do período, basta verificar a lista de produções disponíveis online e fazer a locação da sessão no valor de R$ 6.

O filme que abrirá o 11º Olhar de Cinema será o “Vai e Vem” (2023| Brasil | 82’), das cineastas Chica Barbosa e Fernanda Pessoa. O longa conta a história de duas amigas, uma no Brasil e a outra nos Estados Unidos, que trocam cartas fílmicas durante o primeiro ano de pandemia. O longa só será lançado nos cinemas em 2023, pela Boulevard Filmes, mas, antes disso, os convidados curitibanos poderão conferi-lo após a cerimônia de abertura, no dia 1º de junho, no Cine Passeio.

Outra novidade é a homenagem para a cineasta norte-americana Su Friedrich, dentro da mostra Olhar Retrospectivo, com a exibição de sete de seus filmes. Friedrich é um importante nome do cinema de invenção e referência indispensável para o pensamento das autorias lésbicas na produção de imagens. Nascida em 1954, Su Friedrich começou a carreira em Nova Iorque, no fim da década de 1970. Realizou 25 filmes, atuando como diretora, fotógrafa e montadora.

Esta será a maior mostra da obra da diretora no Brasil, que ganhará ainda mais peso com a realização de uma mesa de debates no “Seminário de Cinema de Curitiba”, além de uma entrevista gravada com a diretora, disponível no site do festival. Outros cineastas também serão homenageados, como o boliviano Kiro Russo, na Mostra Foco, um expoente do cinema contemporâneo boliviano. Russo nasceu em La Paz, em 1984 e produziu e dirigiu até aqui dois longas e quatro curtas-metragens, exibidos em diversos festivais internacionais. No festival curitibano, serão projetados vários de seus filmes que transitam entre a ficção e o documentário.

Encerrando a 11ª edição do Olhar de Cinema – Festival Internacional de Curitiba, está o filme “Todo Mundo Já Foi Pra Marte” (2022 | Brasil | 75’), do diretor Telmo Carvalho. O longa retrata uma viagem, em formato de animação, por sensações e experiências pessoais com a pandemia. Realizado por 37 animadores do Ceará, a produção revela uma multiplicidade de procedimentos, olhares, estilos, mas também de aberturas para a intimidade de seus criadores. No isolamento, os artistas imaginam e sonham com outras possibilidades de mundo em um fluxo de cores, formas e desejos.

Além de toda a programação especial, o 11º Olhar de Cinema está dividido em 10 mostras participantes, dentro de diferentes temáticas, sendo Olhar Respectivo, Olhares Clássicos, Mostra Foco, Pequenos Olhares, Exibições especiais, Mostra Competitiva, Novos Olhares, Outros Olhares, Mirada Paranaense e Olhares Brasil.

Confira sobre cada uma das mostras do festival:

– Mostra Olhar Retrospectivo – Destaca um grande nome do cinema mundial, fazendo uma retrospectiva e uma reflexão aprofundada da obra e da trajetória da pessoa homenageada.

– Mostra Olhares Clássicos – Recorte dos mais variados filmes que marcam a história do cinema. Um panorama de obras de diversos profissionais, países, gêneros e épocas, que acima de tudo demonstra paixão e respeito pelo cinema e pela sua história.

– Mostra Foco – Destaca o trabalho de um novo autor ou autora, ainda pouco visto/a no circuito de festivais brasileiros. Uma chance privilegiada para explorar uma obra ainda em formação e maturação, mas já dentro de um conjunto de filmes que contém a força necessária para lançar um nome a posição de autor/a do cinema contemporâneo.

– Mostra Exibições Especiais – Mestres do cinema mundial, a redescoberta de filmes e um espaço privilegiado para destaques do cinema nacional é a busca da mostra. Ela ainda abre espaço para filmes em pré-estreias. Composta por filmes de diferentes culturas e realidades, essa mostra mescla elementos do passado e do presente, visando apontar possibilidades futuras.

Mostra Competitiva – Formada de Longa e Curta-metragem, composta por um conjunto de apostas, e também descobertas, de filmes recém chegados ao mundo, ainda inéditos no Brasil. Aqui há a busca do equilíbrio entre inventividade, abordagem de temas contemporâneos e potencial de comunicação com o público.

Mostra Novos Olhares – Dedicada a longas-metragens que tem maior radicalidade em suas propostas estéticas e, por isso, flertam com a ventura e o risco de caminhos desconhecidos. Há os filmes que convidam o público a um mergulho lírico, há outros que propõem a frieza do distanciamento épico, há os que investigam as criações alegóricas, há os que apostam no encontro com o real.

Mostra Outros Olhares – Com Longa e Curta-metragem ela faz um diálogo entre filmes ainda inéditos e filmes que já possuem uma trajetória internacional em festivais e mostras recentes. Quem vai para Outros Olhares encontrará uma grande variedade de propostas, estilos, linguagens e abordagens feitos em torno de uma série de extremidades que reflete o mundo atual de extremos em que vivemos.

Mostra Mirada Paranaense – Dedicada a apresentar ao público um panorama da produção audiovisual local do Paraná. O público é convidado a conhecer as primeiras produções dos/as jovens realizadores/as locais, bem como a acompanhar novos trabalhos de realizadores/as experientes.

Mostra Pequenos Olhares – Dedicada as crianças. Um espaço aberto para os jovens espectadores viverem a experiência do festival, que também contempla a possibilidade de filmes para toda a família.

Mostra Olhares Brasil – A Olhares Brasil apresenta um panorama de curtas e longas-metragens brasileiros com obras inéditas ou que já estiveram em festivais de cinema do Brasil e do mundo.