Massa News, notícias do Paraná e do Brasil

Curitiba, PR
Clima
23ºC
Massa News, notícias do Paraná e do Brasil

Avatar 2: James Cameron revela corte de cenas para não ‘fetichizar armas’

Gabriel Sartini

Gabriel Sartini

Por Redação O Estado de S. Paulo

Foto: Divulgação

São Paulo, 29 (AE) – Em entrevista à Esquire Middle East, o diretor James Cameron (Titanic) revelou que cortou cerca de dez minutos de Avatar: O Caminho da Água. O motivo teria sido o seu receio em construir cenas em que o uso de armas fosse “fetichizado”.

O cineasta explicou que, depois de se mudar para a Nova Zelândia, passou a refletir mais sobre a cultura armamentista. O país tem uma legislação mais dura sobre o acesso da população a armas do que os EUA (onde ele vivia) e, recentemente, proibiu a venda de rifles por causa dos massacres de Christchurch, em que um atirador invadiu duas mesquitas e matou 51 pessoas.

“Eu olho para traz, analiso alguns filmes que eu fiz e penso que eu não os faria da maneira como os fiz”, disse Cameron. “Em nosso mundo atual, não sei se eu gostaria de fetichizar tanto as armas da forma como acabei fazendo há 30 anos atrás em Exterminador do Futuro. O que aconteceu com as armas em nossa sociedade me revira o estômago.”

Cenas de tiroteio foram cortadas em Avatar 2

Em Avatar: O Caminho da Água, o diretor disse que procurou ter mais cuidado e que cortou todas as cenas de tiroteio que julgou desnecessárias. “Na verdade, cortei uns dez minutos do filme que eram cenas de tiroteio. Queria tirar algumas coisas feias, encontrar um equilíbrio entre a luz e a treva”, disse. “[Um filme de ação] tem que ter conflito, claro. A depender de como você olha, violência e ação são a mesma coisa. Esse é o dilema de todo diretor de filme de ação.”

Apesar de a sequência terminar como o primeiro filme da franquia, com uma batalha, James Cameron alerta que isso não significa que os acontecimentos se desdobram da mesma forma. “No primeiro filme, tínhamos os mocinhos e os vilões em disputa de igual para igual. E, então, os mocinhos vão para cima, falham, alguns heróis morrem. Então, aparece esse quase ‘deus ex-machina’, que é despertado por Jake quando ele invoca as forças da natureza”, pontuou.

No novo título, o diretor diz que se trata de uma revanche. “No segundo filme as coisas não se sucedem da mesma maneira, definitivamente. A batalha não é nem uma batalha, é uma derrota. É a vingança de Na’vi contra os Tulkun. O desafio real, a verdadeira perda e a reconfiguração das coisas se darão depois da batalha.”

Ao que tudo indica, ainda há muita reviravolta na franquia. Já há a previsão do lançamento de Avatar 3, em 2024; Avatar 4, em 2026; e Avatar 5, em 2028.

Avatar: O Caminho da Água estreou neste mês de dezembro e já arrecadou US$ 955,2 milhões em todo o mundo.

Com informações do Estadão Conteúdo.

Entre no grupo do Massa News
e receba as principais noticias
direto no seu WhatsApp!

Compartilhe essa matéria nas redes sociais

Ative as notificações e fique por dentro das notícias

Dá o play Assista aos principais vídeos de hoje
Colunistas A opinião em forma de notícia