Cannes estreia “Mariupolis 2”, documentário de diretor lituano morto na guerra

“Mariupolis 2”, um documentário que mostra de perto a vida sob bombardeio na Ucrânia, estreou no Festival de Cannes nesta quinta-feira, com um tributo emocionante ao diretor falecido Mantas Kvedaravicius feito por sua noiva.

“É uma honra apresentar o trabalho recente de Mantas. É ótimo que o festival honre seu legado e seu trabalho como diretor e antropólogo”, disse Hanna Bilobrova, segurando as lágrimas.

Kvedaravicius, de 45 anos, foi morto em abril em Mariupol, onde estava filmando com Bilobrova, que foi co-diretora do projeto.

“Estávamos determinados a mostrá-lo”, disse o presidente do festival, Thierry Fremaux, citando que os organizadores estão “muito firmes” contra a guerra.

Fremaux apontou para uma insígnia em seu peito com uma mensagem antiguerra, dizendo: “Eu acho que todos têm esta posição, menos (Vladimir) Putin”.

A guerra paira sobre o festival, que baniu delegações oficiais da Rússia e convidou o presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskiy, para falar na cerimônia de abertura, ao vivo, de Kiev.