Cinemateca exibe mostra de curtas-metragens para Dia Internacional contra a LGBTIfobia

Nesta terça-feira (17) é o Dia Internacional contra a LGBTIfobia. Para marcar a data e promover a visibilidade, a Assessoria de Direitos Humanos – Políticas da Diversidade Sexual e a Fundação Cultura de Curitiba (FCC) vão promover a Mostra da Diversidade Sexual de Cinema.

Nesta quinta (19) e sexta-feira (20), das 19 horas às 21h45, a Cinemateca de Curitiba vai exibir curtas-metragens com a temática da diversidade sexual. A mostra terá entrada gratuita para o público.

Segundo o assessor da Diversidade Sexual da Prefeitura, Fernando Roberto Ruthes, ainda existe muito preconceito e discriminação contra a população LGBTI+ (lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais, transgêneros e intersexos).

“A mostra de cinema é uma oportunidade de combater à LGBTIfobia e trazer maior visibilidade para a diversidade sexual. O objetivo é possibilitar à população o acesso ao cinema e desmistificar o assunto por meio dos curtas-metragens”, explicou Ruthes.

Violência

No Brasil, segundo o mapa da violência, de 2011 a 2019 foram registrados no disque 100 14.995 denúncias de violências contra pessoas LGBTI+. Segundo dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), em Curitiba no ano de 2020 foram registradas 148 notificações de violência em pessoas autodeclaradas homossexuais, bissexuais, travestis e transexuais.

História

Em 17 de maio de 1990, a Organização Mundial da Saúde (OMS) excluiu o homessexualismo da Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados com a Saúde.

Foi somente a partir desta data que a homossexualidade não foi mais classificada como doença, ganhando o reconhecimento de que é uma forma legítima de existência. Por esse motivo, 17 de maio ficou conhecido como o Dia Internacional de Luta Contra a LGBTIfobia, dando visibilidade a estas questões e contribuindo para o enfrentamento da violência e discriminação contra as pessoas LGBTI+.

Após longa e intensa mobilização de movimentos sociais, em 13 de junho de 2019 o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu enquadrar a LGBTfobia como tipo penal definido na Lei do Racismo — Lei 7.716/1989. Além do Brasil, outros 42 países signatários da Organização das Nações Unidas (ONU) possuem legislações de proteção aos direitos das pessoas LGBTI+, prevendo responsabilização por ofensas e agressões.


Mostra da Diversidade Sexual de Cinema

Classificação etária: 16 anos

VOX POPULI
(BR, 1997, ficção, 18’) Direção de Marcelo Laffitte
Elenco: Maitê Proença, Buza Ferraz, Pedro Brício. Um médico tradicional de uma pequena cidade é acusado de assassinar sua esposa e seu amante. Durante o julgamento, o dia do crime é relembrado através das opiniões dos habitantes do lugarejo, acabando por influenciar o veredito final. Entretanto, a verdade é bem diferente.

RASGUE MINHA ROUPA
(BR, 2002, ficção, 11’) Direção de Lufe Steffen
Elenco: Gaion de Oliveira, Priscilla Maia, Conrado Gotti. As aventuras do Bofe na Coleira, perdido na selva de pedra da cidade grande, eternamente perseguido por personagens bizarros.

MENINAS
(BR, 1997, ficção, 17’) Direção de Paula Alves
Elenco: Debora Breder, Heloisa Helena. Duas amigas sofrem com o preconceito e a opressão de uma sociedade católica e conservadora de uma típica cidade do interior brasileiro. Diante das pressões da Igreja e da família, uma delas revolve deixar a cidade.


(BR, 2007, ficção, 5’) Direção de Felipe Sholl
Elenco: Fernando São Thiago, João Ferreira. Dois meninos em um banheiro público. Eles usam drogas e falam sobre sexo. Mas o filme ganha outro tom quando eles revelam o que realmente querem.

SEXO E CLAUSTRO
(BR, 2005, documentário, 12’) Direção de Claudia Priscilla
Documentário feito na Cidade do México sobre uma singular personagem e seus sentimentos a respeito de sexo e religião.

ENTRE TRILHOS
(BR, 2003, ficção, 6’) Direção de Eloísa Fusco
Elenco: Ana Luiza Garritano, Heloisa Paoli, Chuca Toledo. No passado, duas garotas resolvem fugir.

SARGENTO GARCIA
(BR, 2000, ficção, 15’) Direção de Tutti Gregianin
Elenco: Marcos Breda, Gedson Castro, Antônio Carlos Falcão. Baseado no conto homônimo de Caio Fernando Abreu, narra o encontro de um jovem e um sargento durante o alistamento militar na década de 1970.

EM NOME DO PAI
(BR, 2002, ficção, 17’) Direção de Júlio Pessoa
Elenco: Leonardo Miggiorin; Denise Weinberg e Elias Andreatto. Em um subúrbio paulistano, uma história de amor banal. Uma família comum, pai, mãe, dois filhos. E um cachorro. E o oculto,o perverso e a violência dos desejos.
 

Programação 2

Classificação 12 anos

ALGUMA COISA ASSIM
(BR, 2006, ficção, 15’) Direção de Esmir Filho
Dois adolescentes, Caio e Mari, saem em busca de diversão noturna nas ruas de São Paulo. Eles dançam, riem, brincam e aprendem.

UM CLÁSSICO, DOIS EM CASA, NENHUM JOGO FORA
(BR, 1968, ficção, 29’) Direção de Djalma Limongi Batista
Antônio perambula por São Paulo. À noite, encontra um parceiro na Galeria Metrópole, Isaías, para se relacionar sexualmente. Apesar da intensa relação que acontece entre os dois, Isaías pede que Antônio o mate.

O AMOR DO PALHAÇO
(BR, 2005, ficção, 15’) Direção de Armando Praça
O fim. Grete, celebridade da praia de Canoa Quebrada, está morto. Sua história remonta ao tempo em que fatos marcantes o levam a tomar a decisão crucial de abandonar o Circo Máximo e se aventurar por conta própria. O começo do fim.

OS SAPATOS DE ARISTEU
(BR, 2008, ficção, 16’) Direção de René Guerra
O corpo de um travesti morto é preparado para o funeral por outros travestis. A família, após receber o corpo, decide enterrá-lo como homem. Uma procissão de travestis segue ao velório para dizer adeus. Colocam-se os sapatos. A morte nada mais é que uma janela.

FELIZES PARA SEMPRE
(BR, 2009, documentário, 7’) Direção de Ricky Mastro
O filme retrata o casal de mulheres Lu e Lígia, juntas há mais de 30 anos.

DEPOIS DE TUDO
(BR, 2008, ficção, 11’) Direção de Rafael Saar
Após a despedida, a espera. Após a espera, o retorno. Depois de tudo, o que se espera é estarem reunidos e cada dia é suficiente para que se aguarde o próximo. 

ÓPERA CURTA
(BR, 2004, experimental, 15’) Direção de Marcelo Laffitte
Rio de Janeiro, Parada Gay, três personagens se encontram na multidão. O que elas buscam?

Serviço: Mostra da Diversidade Sexual de Cinema

Quando: 19 e 20 de maio, das 19h às 21h45
Onde: Cinemateca de Curitiba (Rua Presidente Carlos Cavalcanti, 1.174 – São Francisco)
Quanto: evento gratuito

Informações da Prefeitura de Curitiba