Com repertório inédito, Orquestra de Câmara de Curitiba celebra a cultura nordestina

Com um repertório inédito e estreia mundial de três obras musicais representativas do Movimento Armorial, a Orquestra de Câmara da Cidade de Curitiba realizou, na noite desta sexta-feira (8/10), na Capela Santa Maria – Espaço Cultural, um concerto de exaltação da cultura nordestina. A apresentação, sob a regência do maestro Marcos Arakaki, coincidiu com o Dia do Nordestino. Neste sábado (9/10), ocorre a segunda apresentação. 

O concerto é um dos primeiros com público presencial dentro da temporada 2021 da Orquestra de Câmara, grupo artístico mantido pela Fundação Cultural de Curitiba e Instituto Curitiba de Arte e Cultura (ICAC). Foram observados todos os protocolos de segurança sanitária de prevenção à  covid-19, inclusive a limitação de público em 50% da lotação do espaço.

Força cultural

“Com grande alegria eu retorno à Capela Santa Maria, em concerto presencial, conduzido por um grande maestro brasileiro. Aproveitem as melodias e harmonias inspiradas no Movimento Armorial, especialmente neste dia em que se comemora a nordestinidade e a força pujante da cultura do Nordeste do Brasil”, declarou o prefeito Rafael Greca, pouco antes do início da apresentação.

O Movimento Armorial, surgido na década de 1970 no Brasil, idealizado pelo escritor e dramaturgo Ariano Suassuna, foi uma vertente de valorização das artes populares nordestinas e levou ritmos como o baião, maracatu, coco e frevo à música clássica. A orquestra executou cinco obras, entre elas três estreias mundiais de compositores nordestinos: A Suíte do Cavaleiro da Triste Figura, de Eli-Eri Moura (1963); Galope Errante, de Marcilio Onofre (1982); e Sinfonia nº 2 Armorial, de Danilo Guanais (1965).

Repertório 

Sobre a primeira obra do repertório, “Suite do Cavaleiro da Triste Figura”, Arakaki, que é maestro titular da Orquestra Sinfônica da Paraíba, explicou que foi composta para o Sistema Nacional de Orquestras Sociais. Sendo a primeira exibição, a performance da orquestra curitibana servirá como referência para outras orquestras brasileiras.

A segunda obra, “Galope Andante” também é inédita e segundo o regente foi escrita pelo compositor Marcílio Onofre a seu pedido, dentro de uma linguagem mais moderna, ainda que bebendo da fonte da música regional. Depois, a orquestra executou “3 Peças Nordestinas”, de Clóvis Pereira, compositor atualmente com 89 anos e que participou ativamente do grupo de Suassuna. “Considero o segundo movimento desta obra um dos mais bonitos da música orquestral brasileira”, comentou o regente.

Outra estreia foi a da obra Sinfonia nº 2 Armorial. “Esta composição tem uma estrutura que lembra Mozart, mas com elementos da música nordestina, e com uma formação sui generis para cordas e percussão”, explicou. A orquestra terminou o concerto com a composição “Mourão”, de César Guerra-Peixe e Clóvis Pereira, considerada o hino do Movimento Armorial.

Marcos Arakaki agradeceu a oportunidade de se apresentar em Curitiba e destacou a representatividade da Orquestra de Câmara e da Camerata Antiqua no cenário nacional. “Temos a agradecer a essa cidade pela manutenção desse patrimônio”, afirmou.

Após o concerto, Arakaki autografou dois livros de sua autoria que estavam à venda: A História da Música Clássica e o livro didático Conhecendo a Orquestra e os Instrumentos.

Novidade

Para os que assistiram à apresentação, o concerto foi uma novidade em todos os sentidos. “É a primeira vez que venho à Capela Santa Maria e que assisto a um concerto da Orquestra de Câmara”, conta o trompetista Lucas Monteiro, de 26 anos, natural de Ponta Grossa e há poucos meses vivendo em Curitiba. “Vim por causa do repertório, sou fã do Movimento Armorial. Mas ter participado dessas estreias mundiais foi algo único”, afirmou.

Também acompanharam o concerto a primeira-dama Margarita Sansone, a presidente da Fundação Cultural de Curitiba, Ana Cristina de Castro, a secretária municipal da Educação, Maria Sílvia Bacila, o diretor de Ação Cultural da Fundação Cultural de Curitiba, Edson Bueno, o diretor executivo do Instituto Curitiba de Arte e Cultura, Marino Galvão Jr., e a consultora de música do ICAC, Janete Andrade.

Nova apresentação

O concerto será apresentado também neste sábado (9/10), às 18h30, e terá transmissão ao vivo pelo Canal Arte e Cultura ICAC no Youtube. A venda de ingressos está sendo feita pelo site minhaentrada.com.br.

A temporada 2021 é uma realização da Prefeitura de Curitiba, Fundação Cultural de Curitiba e Instituto Curitiba de Arte e Cultura (ICAC), Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, com patrocínio do Ministério do Turismo, Volvo do Brasil e Positivo Soluções Didáticas e apoio cultural da Família Farinha.

Serviço: A Música do Movimento Armorial no Brasil

Orquestra de Câmara da Cidade de Curitiba – Regência: Marcos Arakaki

Data: Sábado (9/10), às 18h30

Local: Capela Santa Maria – Espaço Cultural (R. Conselheiro Laurindo, 273 – Centro)

Ingressos à venda pelo site minhaentrada.com.br

Informações da Prefeitura de Curitiba