Danilo Gentili e Fabio Porchat são acusados de fazer apologia à pedofilia em filme

O filme ‘Como se Tornar o Pior Aluno da Escola’, lançado em 2017, virou polêmica nas redes sociais nesta segunda (14). A questão envolvendo o filme lançado cinco anos atrás é uma cena de Fábio Porchat com dois adolescentes em que ele sugere ser masturbado por eles.

O longa já foi associado por pedofilia mais de uma vez. Danilo Gentili, que produziu o filme, responde às críticas dizendo que “o propósito é óbvio: retratar o vilão como hipócrita e pedófilo”. Ele ainda acrescenta que tem orgulho de incomodar “petistas” e “bolsonaristas”.

O longa-metragem conta a história dos estudantes Bernardo (Bruno Munhoz) e Pedro (Daniel Pimentel), que têm dificuldades de seguir regras em uma escola. Mas Pedro encontra um diário de como instaurar o caos sem ser notado. A comédia de Danilo Gentili, com direção de Fabrício Bittar, mostra sátiras de diversas formas. A cena da pedofilia é mais uma delas, mostrando que uma pessoa ‘de bem’ e moralmente correta, às escuras pode ser um monstro.

A mãe de Daniel Pimentel ficou preocupada pela cena de pedofilia e como isso iria afetar seu filho, mas acabou ficando mais relaxada ao ver a apresentação completa. “Gostei, sim, lógico, mas foi uma surpresa. Nunca esperava que ele fosse atuar desse jeito, porque ele nunca disse que queria ser ator. Começou com uma brincadeira e foi indo até que conseguiu o papel (…) Qual me chocou mais? A cena do Porchat eu não tinha visto pronta, sabia mais ou menos como seria, mas depois de ver pronta foi mais tranquilo. Era uma cena que preocupava sim”, admitiu.

Gentili ainda considera as declarações oportunistas: “Ser atacado por ambos os lados mostra que não tenho político de estimação”, pontua. “Humor não deve ter compromisso político. O humor é sempre do contra. Não existe humor a favor.”.