Concerto de encerramento da Oficina de Música na Capela Santa Maria une erudito e popular

Na penúltima noite da 39ª Oficina de Música de Curitiba, o destaque foi o concerto de encerramento da área erudita do evento. Com regência de Abel Rocha, a Orquestra de Câmara de Curitiba tocou as obras de despedida da edição para uma plateia animada que lotou a Capela Santa Maria na noite deste sábado (9).

No repertório compositores clássicos e populares contemporâneos, em uma junção de estilos para mostrar que a música não tem fronteiras. “Nesse ano que estamos comemorando os 100 anos do modernismo no Brasil, a mistura foi ainda mais presente, mas essa interlocução nas linguagens musicais acompanha a Oficina há um bom tempo. Este concerto envolve outros estilos e mostra que a música é uma só”, disse o maestro que é também diretor artístico de Música Erudita na Oficina.

A apresentação foi coroada com a obra inédita encomendada especialmente para este concerto: Variações Frevadas Sobre um Tema Original, de André Mehmari. A execução contou com solos de Clenice Ortigara no cravo e dos músicos populares Wanessa Dourado, no violino, e do bandolinista Henrique Araújo.

Além de Abel, estiveram com a batuta seus alunos de regência da Oficina de Música, que puderam apresentar o conteúdo aprendido durante os cinco dias de aulas.  

De Vera Cruz, no estado de São Paulo, Vinicius Costa Jaloto já está no seu terceiro ano participando da Oficina de Música de Curitiba. Ele foi um dos regentes do concerto de encerramento. “Estar na Oficina é sempre muito positivo, mas dessa vez foi diferente, pois ensaiamos e pudemos acompanhar de perto uma orquestra profissional”, disse.

A 39ª edição da oficina de Música de Curitiba chega ao fim na noite deste domingo (10), com o show da baiana Margareth Menenezes. Ela se apresenta às 20 horas, no Guairão, acompanhada da Orquestra à Base de Sopro.

Informações da Prefeitura de Curitiba