Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Radicados em Londres, nascidos na Itália, Cinelli Brothers chegam a SP para show

E quando tudo parecia caminhar para uma certa crise criativa na cena mais visível do blues rock pós-internet, a novidade vem da Itália. Dois irmãos criados a goles de BB King e Jimmy Vaughan pela manhã, filhos de um pai atento e musical, Marco (guitarrista e vocal) e Alessandro Cinelli (baterista e arranjador) misturaram as influências dos bluesmen clássicos norte-americanos ao rock-and-roll da décadas de 1970 e formaram o Cinelli Brothers. O primeiro show que farão no Brasil será nesta quarta, 20, como parte do Blues Festival do Bourbon Street (a casa abre às 20h e a apresentação começa às 22h).

Apesar de italianos, os irmão Cinelli vivem hoje em Londres e nunca cantaram em outro idioma que não o inglês. Não acreditam também na existência de um blues puro nos dias de hoje. "O blues está morto há décadas", diz Alessandro Cinelli.

No Rio de Janeiro, duas semanas antes do show, os irmãos falam com empolgação sobre o que sentem da música brasileira, mesmo em lugares que nada têm a ver com rock. "O que sabemos da outra parte do oceano é apenas 10% do que está acontecendo aqui. De qualquer forma, assistir à música brasileira ao vivo em bares aqui no Brasil é definitivamente outra coisa. Nós somos literalmente levados para longe toda vez que ouvimos alguém cantando sendo acompanhado apenas por um cavaquinho, ou algumas fantásticas bandas ao vivo." Quem falou com o Estado foi Alessandro Cinelli.

Como vocês começaram? Seus pais são músicos?

Nosso pai é um grande amante da música. Ele costumava colecionar vinis e nos apresentar a ótimas músicas inglesas e americanas desde que éramos crianças. Costumávamos acordar para ir à escola com Jimmy Vaughan e Hank Williams. Papai era um guitarrista amador e um baterista de domingo. Acontece que Marco queria tocar violão e Alessandro, a bateria.

Qual foi o álbum, a música ou o artista que mais o influenciou?

Sem dúvida, BB King Live At Cook County Jail. É uma obra-prima que Marco descobriu quando tinha 11 anos e, a partir de então, o caminho do blues foi finalmente revelado.

A Itália tem ótimos roqueiros. Sobre o blues, você citaria algum grande bluesman italiano?

Estamos um pouco fora da cena de blues italiana. Nós estamos de fato fora de qualquer cena de blues. Mas podemos mencionar alguns músicos italianos que temos o prazer de compartilhar o palco com: Marco Pandolfi (harpa) Simone Nobile (harpa) Lello Panico (guitarra) Simone Scifoni (piano) Max Prandi (baixo) Alessandro Orelli (guitarra). Estes são todos gatos selvagens e podem tocar o blues no nível superior.

Sobre cantar em italiano, você acha que seria possível fazer isso com o mesmo impacto do blues em inglês? Ou o inglês é uma espécie de linguagem oficial do blues?

Nós realmente não podemos dizer. Nós gostamos de inglês, porque nos emocionou quando éramos crianças. Então nós cantamos em inglês. Nós também nos mudamos para o Reino Unido para evitar tentar cantar o blues em italiano. Este funciona melhor para a música italiana, eu acho. Não para muitos dos sete acordes dominantes.

Alessandro, seu irmão, toca uma bateria muito simples, de poucas peças, e tem um estilo muito leve. Você preferiria ser assim em vez de investir em um power trio, com mais poder?

Com o estilo que meu irmão toca, eu posso tocar tudo no topo. Jazz, blues, rock, hard rock, power trio, quarteto... Os bateristas são divididos em duas categorias, na minha opção: os que são musicais e dinâmicos e os que seguem o clique em suas cabeças, o feeling, e puxam o resto da banda em direção a eles. Meu irmão pertence à primeira categoria.

Mesmo o blues nos Estados Unidos já teve dias melhores. Há poucas salas de concerto que tocam blues e os maiores bluesmen do mundo, depois de BB King, não estão mais na estrada. Existe uma crise no blues?



O blues está morto há décadas. O que fazemos hoje é pegar o que os gigantes semearam, sua herança. Os irmãos Cinelli são brancos, italianos e nunca trabalharam em um campo de algodão. Nós simplesmente amamos o blues porque é o único estilo verdadeiro de música que permite que você seja você mesmo e tire o melhor de si mesmo. É simples, cinco notas. Não há necessidade de habilidades musicais ou talentos. É só você, o som e a multidão. Hoje temos uma nova onda de incríveis músicos de blues vindos de todo o mundo. É incrível a maneira como o código do blues se espalha pelas gerações jovens. Nunca seria como o rei BB ou Muddy Waters, é apenas outra coisa. Mas, por causa disso, isso não significa que não vale a pena ouvir ou aproveitar.

Você conhece algum músico brasileiro? O que você acha do País?

A música brasileira é incrível. Samba, choro, bossa nova... O que sabemos da outra parte do oceano é apenas 10% do que está acontecendo aqui. De qualquer forma, assistir à música brasileira ao vivo em bares aqui no Brasil é definitivamente outra coisa. Nós somos literalmente levados para longe toda vez que ouvimos alguém cantando sendo acompanhado apenas por um cavaquinho, ou algumas fantásticas bandas ao vivo. O Brasil é um país lindo e definitivamente um líder mundial de música em todo o mundo.

CINELLI BROTHERS

Bourbon Street. Rua dos

Chanés, 127, tel. 5095-6100

ou 97060-0113. 4ª (20),

às 22h. R$ 60

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Grupo do Massa News no WhatsApp

Receba as principais notícias do dia direto no seu celular.

  Entrar no grupo