Procurador espanhol pede pena de oito anos de prisão para Shakira

MADRI (Reuters) – Um procurador espanhol pediu uma pena de 8 anos de prisão para a estrela colombiana Shakira por um caso de fraude fiscal de 14,5 milhões de euros, mostrou um documento do Ministério Público nesta sexta-feira.

A cantora, que já vendeu mais de 80 milhões de discos em todo o mundo com sucessos como “Hips Don’t Lie”, rejeitou uma oferta de acordo da promotoria para encerrar o caso no início desta semana.

Ela é acusada de não pagar impostos entre 2012 e 2014, período em que Shakira diz que não morou na Espanha.

O documento do procurador, visto pela Reuters, afirma que Shakira residia normalmente na Espanha entre 2012 e 2014 e em maio de 2012 comprou uma casa em Barcelona, que se tornou um lar para ela, seu parceiro e seu filho nascido na Espanha em 2013.

O documento pede uma sentença de 8 anos de prisão e uma multa de mais de 23 milhões de euros (23,5 milhões de dólares) caso ela fosse considerada culpada. Ainda não há data para julgamento.

Solicitados por comentários, os representantes de Shakira se referiram a uma declaração anterior enviada na quarta-feira dizendo que ela “está totalmente confiante em sua inocência” e que considera o caso “uma violação total de seus direitos”.

Os termos da oferta de acordo anterior não foram divulgados.

A cantora de 45 anos, conhecida como a Rainha do Pop Latino, disse que inicialmente pagou os 17,2 milhões de euros que o fisco espanhol disse que ela devia e afirma que não tem dívidas pendentes com as autoridades fiscais.

O mais recente desenvolvimento no caso fiscal ocorre um mês depois que Shakira e seu marido, o zagueiro Gerard Piqué, do Barcelona, anunciaram que estavam se separando. Shakira e Piqué estavam juntos desde 2011 e têm dois filhos.