Projeto Cultural Dois Mundos faz imersão sobre diversidade através da arte

Conhecer mais sobre a realidade daquele que é diferente de você, é enriquecer suas experiências e caminhar para um mundo mais respeitoso. Pensando nisso é que a bailarina brasileira, empresária e responsável pela idealização do Projeto Dois Mundos, Pamela Shirona, ao lado do bailarino Jacob Cachinga – natural da Angola e deficiente visual -, resolveu, através da alegria e emoção que a arte é capaz de oferecer, promover uma reflexão sobre acessibilidade e diversidade no Dia da Consciência Negra. “Empatia não é sentir exatamente as dores do outro, mas entender, respeitar e acolher o que me diferencia do outro”, revela Shiroma. Buscando mostrar ao público a capacidade do nosso corpo em explorar sentidos que vão muito além da visão, Jacob, ao lado de Pamela, imergirão o público em um pouco de sua vivência.

O evento que acontecerá no dia 20/11 das 10h às 12h no Pavilhão Étnico do Memorial de Curitiba, iniciará com uma palestra dos criadores, com a participação de Aline Morena – falando também sobre o sentido auditivo – e seguirá com apresentações do Coral Vozes de Angola – composto por pessoas africanas com deficiência visual -, com participação especial do grupo Dançar Sem Ver – projeto social também formado por deficientes visuais, mas que são brasileiros – e da dupla Pamela e Jacob. “O ponto principal é a palestra, adaptada para cada tipo de público, onde fazemos uma dinâmica com vendas, para que as pessoas entendam a importância de cada sentido e como é possível viver, sentir e se comunicar com o mundo mesmo sem um deles”, explica Cachinga.

Gratuito e aberto para todos os públicos, o encontro é a possibilidade de celebrar as expressões artísticas afro-brasileira e dialogar a respeito de inclusão, acessibilidade e a refletir, em um dia tão importante quanto o dia 20 de novembro, sobre a consciência negra, levando aos participantes uma experiência capaz de furar a bolha da própria vivência cultural e social. “É a chance de enxergar que ser diferente é importante, que o mundo seria muito chato se todos fossem iguais, que quanto mais diferentes somos mais próximos estamos e melhor nos complementamos”, afirmam Pamela e Jacob.

Projeto Dois Mundos 2022

Data e horário: 20/11 das 10h às 12h

Local: Memorial de Curitiba, Pavilhão Étnico, Largo da Ordem (Rua Dr. Claudino dos Santos, 79, São Francisco, Curitiba-PR)

Entrada gratuita, todos os públicos