“Ted Lasso” e “The Crown” triunfam em Emmy com predomínio do streaming

Por Jill Serjeant

LOS ANGELES (Reuters) – O drama da realeza “The Crown” e a comédia edificante “Ted Lasso” conquistaram os prêmios principais da televisão no Emmy na noite de domingo, dominada por atrações do streaming, talentos britânicos e vitórias raras de mulheres.

O drama de xadrez “O Gambito da Rainha” foi escolhido como melhor minissérie e venceu em 11 categorias, empatando com “The Crown” com o maior número de premiações.

O prêmio de melhor série dramática para “The Crown” deu à Netflix sua maior honraria até hoje, e a Apple TV+ entrou na elite do streaming ao ser premiada pela melhor série de comédia por “Ted Lasso”. Nem a Netflix, nem a Apple TV+ já havia recebido um Emmy nestas categorias.

Jason Sudeikis, o astro e cocriador de “Ted Lasso”, foi reconhecido como melhor ator de comédia. O seriado também rendeu prêmios para os britânicos Hannah Waddingham e Brett Goldstein por seus papéis coadjuvantes na história de um time de futebol inglês em dificuldades que conquistou espectadores da TV com seu humor despojado nos dias sombrios da pandemia de coronavírus.

Apesar de uma lista de indicados que exibiu a maior quantidade de pessoas de cor em anos, poucas delas saíram como vencedores.

Entre elas estiveram a britânica Michaela Coel, premiada pelo roteiro do drama de agressão sexual “I May Destroy You”, que ela também protagonizou e dirigiu; RuPaul, anfitriã do programa de calouros “RuPaul’s Drag Race”; e o elenco do musical de hip hop da Broadway “Hamilton”, agraciado com o Emmy de especial de variedades depois de ser filmado para a TV.

Foi uma noite boa para as mulheres e os britânicos.

Lucia Aniello recebeu um prêmio raro de direção para uma mulher pela série cômica “Hacks” e também foi uma das corroteiristas premiadas. A britânica Jessica Hobbs levou um Emmy pela direção de “The Crown”.

Sete dos 12 prêmios de atuação foram para britânicos, incluindo Olivia Colman e Josh O’Connor pelos papéis da rainha Elizabeth e do príncipe Charles na quarta temporada de “The Crown”.

Uma Kate Winslet exuberante foi homenageada por encarnar a detetive sofrida da minissérie “Mare of Easttown”, e Ewan McGregor surpreendeu ao receber um prêmio pela interpretação de um estilista em “Halston”.

As preocupações com a variante Delta do coronavírus forçaram a transferência da cerimônia para uma tenda ao ar livre no centro da cidade norte-americana de Los Angeles, com uma lista de convidados reduzida e a exigência de vacinas e exames, mas um tapete vermelho que lembrou os tempos pré-pandemia.