SBT 40 anos: conheça a trajetória da emissora

Nesta quinta-feira (19), o SBT completa 40 anos. Inaugurado em 19 de agosto de 1981, no exato momento da assinatura da concessão por Silvio Santos, a emissora carrega em sua história uma programação popular e inovadora, consolidando-se na vice-liderança de audiência já em seu primeiro dia no ar.

Considerado popular por se aproximar do público por meio dos comunicadores, o SBT foi a única emissora de televisão que nasceu de um programa, o Programa Silvio Santos. Atualmente, o SBT cobre 198 milhões de telespectadores e 69 milhões de lares. São 110 emissoras em todo país, 24 horas de programação diversificada com participação em de 11% na Grande São Paulo e 10% no Brasil. O complexo do SBT tem uma área total de 230.000m² com 74.000m² de área construída. Conta com oito estúdios, somando uma área de mais de 4.400 m² e uma cidade cenográfica de 6.500 m².

Surpreendendo nos primeiros anos de vida, mesclava grandes clássicos da TV com novos formatos e estrelas que nasciam no canal. O Povo na TV, Programa Raul Gil, Almoço com as Estrelas com Ayrton e Lolita Rodrigues, O Homem do Sapato Branco, com Jacinto Figueira Jr, Show Sem Limite com Jota Silvestre, Moacyr Franco Show, Dercy Gonçalves, A Maravilhosa Música Brasileira com Oswaldo Sargentelli, o humorístico Reapertura, entre outros, eram garantia de sucesso em audiência. Ao mesmo tempo, a emissora revelava comunicadores que tornaram-se estrelas da telinha: Gugu Liberato, Mara Maravilha, Christina Rocha, Luis Ricardo e Sérgio Mallandro.

A criatividade sempre se fez presente por meio do lançamento de programas interativos como Sessão Premiada e TV Powww, além das novelas internacionais Os Ricos Também Choram, Chispita, Cristina Bazan, Viviana em Busca do Amor, que conquistaram o público junto das produções próprias como Destino, A Força do Amor, Vida Roubada, Meus Filhos Minha Vida e Jerônimo. Mas os programas de auditório, uma escola criada por Silvio Santos, foram constantes em seu início com Viva a Noite, sob comando de Gugu Liberato, o musical Vamos Nessa, com Dudu França, Silvio Santos e Mara, e o humor de Alegria, ressaltando o viés inovador da emissora com as Câmeras Escondidas. Os seriados Chaves e Chapolin consagraram o humor simples e pueril num fenômeno absoluto de público. Mulheres antenadas e modernas comandavam Show da Tarde, deixando de lado a culinária e o artesanato e investindo em entrevistas e debates com Christina Rocha, Mara, Helô Pinheiro, Sandra Bréa e Meire Nogueira, entre outras.

A tradição em programas infantis faz parte da admiração dos pequeninos pelo canal. Bozo arrebatou o público mirim a partir do primeiro dia de exibição. O Festival Internacional da Criança, com Giovanna, revelou talentos da época. Mas foi com Show Maravilha, comandado pela baiana Mara Maravilha, que uma legião de fãs abraçou o SBT como seu canal de TV preferido, seguindo com a alegria e a molecagem de Sérgio Mallandro no Oradukapeta, Dó Ré Mi Fá Sol Lá Simony e o programa Mariane.

Na segunda metade da década, um grande investimento resultou em uma programação forte, com a chegada de Hebe Camargo, que renovou o tradicional programa Hebe com a presença do jornalismo e convidados internacionais. Carlos Alberto de Nóbrega trouxe para o SBT o banco de seu pai, Manoel de Nóbrega, consagrando-o através do A Praça é Nossa, absoluto sucesso que se modifica constantemente, remodelando as atrações sem perder o principal: o dom de fazer rir. Jô Soares também trouxe seu sofisticado humor com Veja o Gordo e, mais uma vez, inovou no SBT com o talk show de maior repercussão da década: Jô Soares Onze e Meia.

Noticentro fixou a informação na grade nos sete primeiros anos, e em 1988, um novo modelo de jornalismo na televisão brasileira foi apresentado com o TJ Brasil, com a ancoragem de Bóris Casoy. Na década de 90, o Aqui Agora também apresentou uma linguagem nova no telejornalismo, com reportagens de Magdalena Bonfiglioli, Wagner Montes, João Leite Netto e Celso Russomano. Já o Jornal do SBT, inicialmente com Lillian Witte Fibe, contou também com a apresentação de Leila Cordeiro, Eliakin Araujo, Hermano Henning, Carlos Nascimento, Liliane Ventura, Analice Nicolau, Maria Cândida, Marcelo Torres, entre outros.

esporte trouxe uma equipe de peso, em épocas diferentes com Osmar de Oliveira, Emerson Leão, Jorge Kajuru, Telê Santana, Walter Abrahão, Sócrates, Juarez Soares, Luiz Ceará, Silvio Luiz, Juca Kfouri, João Rehder, Orlando Duarte, Luiz Alfredo, na cobertura de campeonatos e eventos internacionais. 

A produção de reportagens especiais teve comando de Silvia Donato em O Crime e a Lei e Fatos em Foco, em 1981. Em 1986, Goulart de Andrade chega ao SBT trazendo seu “vem comigo” no Eu Sou o Repórter e Comando da Madrugada. Roberto Cabrini chega em 1989 para comandar o departamento de esportes e matérias internacionais no Reportagem Especial. Em 1995, o SBT Repórter teve a melhor equipe de reportagem, com o premiado Conexão Repórter.

Na década de 90, o SBT investiu novamente em dramaturgia com Éramos Seis, um dos maiores sucessos do gênero. Razão de Viver, Pérola Negra e Fascinação reverberam em audiência. O bate-papo jovem e direto de Serginho Groisman trouxe um Programa Livre nas tardes da TV. Nesta época, dois nomes surgiram nas telas da emissora: Eliana e Celso Portiolli. Gugu manteve a tradição nos shows de auditório com Sabadão Sertanejo e o Domingo Legal. A Escolinha do Golias era pura gargalhada com Ronald Golias, Nair Bello, Consuelo Leandro e Carlos Alberto de Nóbrega, e no final da década, Gorete Milagres e Moacyr Franco estrelaram Ô Coitado.

Programa Silvio Santos diversificou com os mais variados gêneros de atrações, como Qual é a Música, Show de Calouros, Porta da Esperança, Roletrando, Domingo no Parque, Jogo das Famílias, O Preço Certo, Cinderela, Topa Tudo por Dinheiro, Em Nome do Amor, Gol Show, Tentação e Show do Milhão. Em 1993, os jurados se revezavam no comando do Novo Show de Calouros, com Sonia Lima, Flor, Leão Lobo, Décio Piccinini, Elke Maravilha, Pedro de Lara e Wagner Montes.

Em 1996, a emissora ampliou a capacidade operacional com a inauguração do Centro de Televisão Anhanguera, ou Complexo Anhanguera, reunindo toda a produção em um único espaço (encerrando as atividades nas sedes Vila Guilherme, Sumaré, Camarés, Teatro Silvio Santos e a antiga Unidade Anhanguera). No ano seguinte, uma parceria inédita da TV apresentou Chiquititas, novela infanto-juvenil que revelou inúmeros talentos da dramaturgia. Marilia Gabriela chegou para comandar First Class e depois o SBT Repórter, estreando em 1998 seu bate-papo dominical no De Frente com Gabi.

No final da década, o apresentador Ratinho chegou ao SBT trazendo seu show de variedades com humor, reportagens e prestação de serviços. O Programa do Ratinho é sinônimo de alegria com um elenco bem-humorado. Destacam-se também o polêmico Márcia, com Márcia Goldschimidt, os divertidos Fantasia e Alô Christina, o humorístico Fala Dercy, o último programa de Dercy Gonçalves na TV, e Canta Dança Minha Gente, uma danceteria sob o alto astral de Carla Perez. Após atuar nas Câmeras Escondidas, Celso Portiolli estreou como apresentador no Passa ou Repassa, tendo comandado posteriormente diversas atrações que mostraram a versatilidade do animador como Tempo de Alegria, Curtindo uma Viagem, O Conquistador do Fim do Mundo e Código Fama.

Com atrações educativas, o Bom Dia e Companhia começou em 1993 com apresentação de Eliana. Em 1998, passou para o comando de Jackeline Petckovic. Na mesma época iniciou a Casa da Angélica, o programa Sérgio Mallandro, Sessão Desenho no Sítio da Vovó e o infantil Disney Club, com a turma da TV CRUJ.

Em 2001, a maior audiência da história, foi marcada pela chegada de um novo gênero na programação: o reality Casa dos Artistas paralisou o público em frente à TV para ver Silvio Santos e os 12 participantes interagindo ao vivo.

Novas atrações rejuvenescem a cara do SBT através do Charme, de Adriane Galisteu, Casos de Família, então com Regina Volpato, Jogo Duro, com Jorge Kajuru, e Meu Cunhado, protagonizado por Moacyr Franco e Ronald Golias. Os realities permeiam a programação através de Ilha da Sedução, com Babi Xavier, Protagonistas de Novelas, Ídolos, com Beto Marden e Ligia Mendes, Casamento à Moda Antiga, Popstars, o reality que revelou os conjuntos Rouge e Broz, Supernanny, Quem Perde Ganha, e em 2009 a elegância e o talento de Isabella Fiorentino e Arlindo Grund no Esquadrão da Moda. O Bom Dia e Cia ganhou a dupla mirim Priscilla Alcantara e Yudi Tamashiro como os novos amigos da garotada e logo foram presenteados com a companhia de Maisa.

Em 2005, Ana Paula Padrão estreou junto com o SBT Brasil que posteriormente se fortaleceu como um dos principais telejornais da TV sob comando de Joseval Peixoto, Carlos Nascimento e Rachel Sheherazade e, atualmente, com Marcelo Torres e Marcia Dantas.

A dramaturgia ganhou uma nova cara e Carrossel reuniu a família em volta da TV, criando um novo hábito no telespectador brasileiro no horário nobre. Larissa Manoela, revelada em Corações Feridos, brilha como Maria Joaquina na novela. A sequência manteve o vigor com o remake de Chiquititas, além de Cúmplices de Um Resgate, Carinha de Anjo e As Aventuras de Poliana. Prata da casa, Christina Rocha, retornou com um novo Casos de Família.

Em 2014, o SBT recebeu Danilo Gentili e sua trupe em The Noite com Danilo Gentili. Já em 2019, as tardes de sábado reuniram os telespectadores para assistir o Programa da Maisa. O fim de noite é tradição em curiosidades, bom humor e audiência com Otávio Mesquita, que desde a década de 80 movimenta a madrugada com Perfil, Okay Pessoal e o atualíssimo Operação Mesquita.

Patricia Abravanel, tornou-se a nova estrela da TV nos bem-sucedidos Cante se Puder (ao lado de Márcio Ballas) e Máquina da Fama. Em 2019, conquistou os sábados com Topa ou Não Topa

Inovando sempre e com uma visão antenada, o SBT cria uma faixa de sucesso aos sábados com os realities que divertem o Brasil: Esquadrão da Moda, e a estreia de Hell?s Kitchen, BBQ Brasil, e Bake Off Brasil. Fábrica de Casamentos surpreende o público e o mercado com um formato novo e que conquistou a audiência acompanhando a versatilidade de um elenco vitorioso: Chris Flores, Carlos Bertolazzi, Beca Milano, Lucas Anderi, Robson Jassa, Mari Dedivitis e Junior Mendes. 

Hoje, o SBT conta com uma programação diversificada e multiplataforma, mantendo os SBTistas, alcançando a maior relevância nas redes e mantendo a vice-liderança na TV. Uma tradição conquistada ao longo dos anos, galgando cada passo de uma vez num crescimento orgânico e salutar tanto para o público quanto para a TV brasileira, sendo agraciado com a companhia de quem o acompanha há 40 anos, sem deixar de conquistar o novo e inovar sempre, uma de suas marcas perante a história nesses mais de 70 anos de televisão no Brasil, do “canal da família brasileira”.

Informações do SBT