Aline Rocha e Cristian Ribera serão porta-bandeiras na Paralimpíada

Os atletas Aline Rocha e Cristian Ribera, ambos do esqui cross-country, serão os porta-bandeiras do Brasil na cerimônia de abertura da Paralimpíada de Inverno, programada para às 8h55 (horário de Brasília) de sexta-feira (4), no icônico estádio Ninho de Pássaro, em Pequim (China).  O anúncio foi feito nesta quarta-feira (2) por Mizael Conrado, presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB).  Além da dupla, a delegação brasileira conta com outros quatro atletas em Pequim: Guilherme Cruz Rocha, Robelson Moreira Lula e Wesley dos Santos, todos do esqui cross-country; e André Barbieri do snowboard

Esta é a terceira vez que o Brasil disputa os Jogos Paralímpicos de Inverno. Na última edição, em 2018, em PyeongChang (Coreia do Sul), o país contou com três atletas, e em 2014, em Sochi (Rússia), foram apenas dois. Natural de Pinhão (PR), Aline Rocha, de 31 anos, não vê a hora de participar de sua terceira Paralimpíada, e levar pela segunda vez a bandeira brasileira: a primeira foi em PyeongChang.

“Uma honra imensa representar o meu país nos Jogos e ainda por cima ser porta-bandeira junto com o Cristian, uma emoção muito grande”, disse a atleta em depoimento ao CPB.

Já Cristian Ribera, de 20 anos, sentiu a emoção de ser ponta-bandeira pela primeira vez no encerramento dos Jogos de 2018. Na ocasião, o esquiador conquistou o sexto lugar na prova dos 15 quilômetros, o melhor resultado brasileiro na história do evento.

“Lá na Coreia do Sul foi muito especial. Eu não fui porta-bandeira na abertura, mas só de entrar no estádio já foi uma emoção inesquecível. Poder ser o porta-bandeira junto com a Aline vai ser super especial, vamos curtir o máximo, e, na medida do possível, fazer nossa festa”, afirmou o atleta nascido em Cerejeiras (RO), que vive em Jundiaí (SP) desde os três meses de idade. 

A Paralimpíada de Pequim reunirá 650 atletas de 48 países até 13 de março, último dia de competição. 

Informações da Agência Brasil