Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Completando 20 anos de academia, Magoo comemora nono sul-americano

(Foto: Divulgação) - Completando 20 anos de academia, Magoo comemora nono sul-americano
(Foto: Divulgação)

O mestre faixa preta de jiu jitsu Magoo completa 20 anos de atividades de sua academia em Londrina e fecha 2016 com uma marca surpreendente: a conquista do título sul-americano pelo nono ano consecutivo, na categoria peso leve, sem nunca ter sofrido ponto dos adversários nos nove campeonatos. A vitória mais recente foi no final de novembro, em São Paulo.

A presença no pódio em outras importantes competições comprova que foi um ano de muito sucesso para o atleta e professor: vice-campeão mundial em Las Vegas (EUA), em setembro; vice-campeão europeu em Portugal, em janeiro; campeão do torneio internacional Curitiba Open, em maio; e bicampeão brasileiro.

Magoo, ou Vinicius Canevari, tem 42 anos, é formado em Fisioterapia e começou a treinar aos 15, no Rio de Janeiro. Chegou a Londrina em 1996, convidado para ensinar a arte marcial a alguns interessados. “Foi quando abri a academia e o legal é que o primeiro aluno continuando treinando comigo”, comenta. Ele refere-se ao hoje advogado Carlos Frederico Viana Reis.

Além da sede principal, com mais de 200 alunos atualmente, a Academia Magoo Jiu Jitsu conta com oito filiais: cinco em Londrina, uma em Cambé, uma em Rolândia e uma em Sorocaba (SP). Em todas, os instrutores são faixas preta ou marrom, graduados na escola do mestre, que já perdeu a conta de quantos atletas treinou nessas duas décadas.

Magoo ressalta que o jiu jitsu proporciona muitos benefícios aos praticantes. “Tem os aspectos físico e psicológico, que melhoram a qualidade de vida e deixam a pessoa mais saudável. A maioria treina pela sensação de bem-estar ao final da atividade. Apenas 20 por cento estão focados em competições”, afirma.

Para o mestre, outro fato importante é a convivência harmoniosa e de amizade entre praticantes de diferentes classes sociais. “A inclusão social é bem visível. Diariamente pessoas simples e também empresários, médicos, advogados, promotores e muitos outros profissionais estão treinando e se relacionado no mesmo patamar. O tatame aproxima os praticantes e cria um ambiente de respeito mútuo”, relata.

(com assessoria de imprensa)