Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

'Princesinha do tatame' encanta por foco e dedicação na luta

'Princesinha do tatame' encanta por foco e dedicação na luta

Com apenas sete anos e o título de “Princesinha do Tatame”, uma pequena lutadora de Cascavel tem chamado a atenção de inúmeras pessoas pelo país pela seriedade e dedicação dentro do esporte. Considerada uma grande revelação do kickboxing, Vitória Camargo, campeã paranaense e vice-campeã brasileira, agora se prepara para representar o Brasil no Campeonato Pan-Americano.

A pouca idade só confirma o que o primeiro técnico da menina, que é natural de Marechal Cândido Rondon, disse aos pais logo em seu terceiro treino, quando ainda tinha cinco anos: a lutadora é um diamante a ser lapidado, com um talento fora do comum. Sensação por onde passa por seu foco e determinação, a ‘minicelebridade’ ganhou o primeiro título apenas dois meses após começar a treinar.

“A Vitória tinha cinco anos quando foi comigo a uma academia de luta. Na época eu pretendia voltar a lutar para baixar o peso, fui até o local, mas não voltei. Ela, porém, não saiu mais de lá e quis ficar no treinamento de muay thay e kickboxing, onde chamou a atenção do treinador, que nos contou que tínhamos um diamante a ser lapidado”, conta o pai da menina, Jeferson Lazaro, que a acompanha nas competições.

Por conta da pouca idade, Vitória, que é atleta do Clube Tuiuti, nunca lutou com uma menina da mesma faixa etária que a sua, somente com lutadoras um pouco mais velhas. Desta forma, o primeiro título veio sem lutar, o que fez com que a organização encontrasse uma ‘outra saída’. “Neste ano ela foi novamente para o Paranaense, e foi nos dada duas opções. Ela podia ser campeã sem lutar, ou lutar com uma menina mais velha, de nove anos. Como é importante ter esse desafio e ver como ela se comportaria dentro do tatame em algo oficial, decidimos pela segunda opção, e foi muito legal. Ali todos confirmaram que ela era uma revelação e o título, de fato, veio”, disse.

Com o título, Vitória se classificou para lutar no Campeonato Brasileiro, onde, novamente, enfrentou somente meninas mais velhas. “Lá ela foi vice-campeã, na final perdeu para uma menina de nove anos. Porém, como no Brasil não há lutadoras da idade dela e a Vitória foi uma revelação, a confederação acabou a convocando para representar o Brasil no Pan-Americano, que acontece em Cancun”, explicou Jeferson, orgulhoso. A competição acontece entre os dias 23 e 28 de outubro, e agora a família corre atrás de patrocinadores para custear a viagem.

Minicelebridade

O foco que Vitória, tem dentro do tatame foi um dos responsáveis pela fama que a menina conquistou quase que repentinamente. Apaixonada pela luta, o pai confirma que a criança se dedica tanto simplesmente por ser feliz no que faz. “Enquanto ela estiver se sentindo feliz, eu vou estar incentivando. Mas nós sempre falamos para ela sobre a importância do estudo, que se ela não for bem, não vai poder lutar. Não adianta, dentro do tatame parece até uma adulta, mas fora ela volta a ser a criança que é, dá cambalhotas e tudo mais”, explica.

Considerada uma ‘minicelebridade’, Vitória é muito ‘tietada’ nas competições, onde outros participantes pedem para tirar foto com quem chamam de Princesinha do Tatame. “É gente do Brasil inteiro pedindo para tirar foto, as pessoas da academia ficaram até sem jeito. Ela, porém, é muito tranquila, considera tudo isso já como um trabalho. A gente não força a nada, mas ela mesma criou essa dedicação, essa responsabilidade. Se eu deixar, ela quer treinar três vezes por dia. Nas férias, se estamos em outra cidade, preciso encontrar academia para ela treinar”.

Quem quiser, pode entrar em contato ou acompanhar a rotina de Vitória pelo Instagram.

Grupo do Massa News no WhatsApp

Receba as principais notícias do dia direto no seu celular.

  Entrar no grupo