Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Curitibano promete andar a 200 km/h em bicicleta

- Curitibano promete andar a 200 km/h em bicicleta

No próximo dia 26 de novembro, às 8h30, no quilômetro 63 da BR-277, em São José dos Pinhais, o curitibano e ciclista profissional Evandro Portela vai tentar bater o recorde mundial de velocidade extrema em cima de uma bicicleta. O desafio será feito no vácuo de um carro em alta velocidade, com toda estrutura de segurança e apoio da Ecovia, Polícia Rodoviária Federal, Departamento de Estradas e Rodagem (DER-PR), e Prefeitura de São José dos Pinhais.

“Depois de competir profissionalmente nas décadas de 1990 e 2000, somando cinco circuitos europeus e muitas conquistas, comecei a treinar a mais de 10 anos ciclismo em velocidade extrema. Sempre fui ousado com a bike, tenho muito controle e o meu máximo foi de 184 km/h em julho deste ano. Agora vou bater o recorde mundial e chegar a 200 km/h. É um antigo sonho que está se realizando, fruto de muito trabalho e dedicação”, conta Evandro Portela, que treina de domingo a domingo, chegando a 800 quilômetros de bike por semana.

Para bater o recorde mundial uma grande estrutura será montada no KM 63 da Rodovia BR 277. A largada será às 8h30 da manhã em frente ao prédio da Editel, até o Viaduto da Rui Barbosa, no município de São José dos Pinhais. O trânsito será suspenso por 20 minutos para que o desafio se complete. O feito será avaliado por um juiz do Guiness Book, o livro mundial dos recordes, de forma online.

“O desafio acontece da seguinte forma, eu inicio pedalando e ganho velocidade até que o carro passa por mim a 50 km/h. Eu entro no vácuo atrás dele e desta forma vamos juntos ganhando velocidade até chegar a 200 km/h em 11 quilômetros de pedalada. O carro será pilotado por um motorista com experiência, pois qualquer movimento brusco pode me desestabilizar. É estruturado com uma carenagem de acrílico para que eu entre no vácuo e quebrando a barreira do vento”, explica o atleta.