Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Sagan vence etapa da Volta da França pela 3ª vez e Thomas se mantém no topo geral

- Sagan vence etapa da Volta da França pela 3ª vez

Com o tempo de 3h45min55s, o eslovaco Peter Sagan, da equipe Bora, ganhou pela terceira vez uma etapa da atual edição da Volta da França, no trecho de 169,5 quilômetros disputado nesta sexta-feira, entre Bourg D'Oisans e Valence. Não houve alterações na classificação geral, portanto o britânico Geraint Thomas, da Sky, manteve a camisa amarela.

Depois de 13 etapas da competição, o líder acumula 53h10min38s percorridos, só 1min39s à frente de outro britânico da equipe Sky, o tetracampeão da Volta da França Chris Froome. Atrás deles vem o ciclista holandês Tom Dumoulin (Sunweb), que está a 1min50s de Thomas.

Os acontecimentos da etapa anterior, em Alpe d'Huez, ainda repercutiram nesta sexta-feira. Campeão da Volta da França em 2014, o italiano Vincenzo Nibali foi obrigado a abandonar a atual edição por causa de uma fratura em uma vértebra, sofrida por causa de fãs da competição que se aproximaram demais da pista no trecho disputado na quinta-feira. O italiano sofreu uma queda depois de se ver espremido entre os fãs e as motos que escoltam os ciclistas durante o percurso.

"Foi um espectador empolgado que causou o acidente, não as motos da guarda republicana. Quero agradecer pelo admirável serviço estatal prestado", explicou o diretor da Volta da França, Christian Prudhomme, em entrevista às emissoras de TV do país. Ainda sobre o episódio, o dirigente aproveitou para recriminar o uso de sinalizadores por parte dos fãs.

"Não se podia ver nada, muito menos o Nibali. Fumaça não tem nada a ver com o ciclismo. Causa um cheiro nauseante aos competidores e limita a visão deles. É algo que não faz sentido", reclamou Prudhomme, que também teve de explicar as vaias de fãs aos britânicos Thomas e Froome, além do empurrão sofrido pelo tetracampeão, hostilizado desde o início da atual Volta da França por causa de investigação por uso de doping, da qual foi inocentado pouco antes do evento.

"Tudo o que aconteceu em Alpe foi muito doloroso. Todos os ciclistas do evento, os campeões também, devem ser respeitados. É o que faz a grande maioria do público", afirmou o diretor. Froome, por sua vez, culpou os organizadores pelo incidente do qual foi vítima.

"Durante o evento, é responsabilidade da organização nos proteger. Não é correto que haja gente que esteja lá para empurrar um ciclista", afirmou o britânico, que sofreu a agressão quando se dirigia a um ônibus disponibilizado aos competidores depois das etapas.

O ex-ciclista Nicolas Portal, diretor da equipe Sky, mostrou constrangimento pelo episódio. "Tive a sensação de vergonha quando os nossos corredores entraram no ônibus. Não sei por que, eu pedi perdão a eles. Por nós e pelo nosso país. Eles me tranquilizaram, mas eu estava envergonhado, foi algo que mexeu comigo", disse o francês.

A 14ª etapa da Volta da França, marcada para ocorrer neste sábado, contará com um percurso de 188 quilômetros entre Saint-Paul Trois-Chateaux e Mende.

Grupo do Massa News no WhatsApp

Receba as principais notícias do dia direto no seu celular.

  Entrar no grupo