Como a prática do esporte pode alavancar a performance corporativa

Neste último domingo (29), ocorreu o maior evento de triathlon da América Latina, o Ironman, na Praia de Jurerê Internacional, em Florianópolis. Na prova, os atletas precisaram nadar 3,8 km, pedalar 180 km e depois correr 42km, respectivamente. Um dos participantes, o executivo Felipe Chaya, Head de Treinamento e Educação Corporativa, sócio da Aceleração de Vendas e da Consultoria Inside Business Design, em sua segunda participação no Ironman Brasil, leva as experiências de seu primeiro Ironman, em 2018, e outras maratonas, para elevar a performance dos times destacando a importância do processo em qualquer tarefa que seja dada. 

“Assim como no esporte,  é enorme a importância do processo das coisas também no trabalho. Afinal, ter sucesso demora, e não se pode treinar nove meses em quatro: é preciso testar nossa resiliência, respeitar o tempo de cada coisa. Outro ponto  essencial que o esporte me ensinou e aplico na rotina corporativa e nos meus treinamentos é que nem todo dia é um dia bom, mas ainda assim é preciso fazer o que temos que fazer, seja treinar na chuva ou fazer aquele relatório desafiador no trabalho”, explica o sócio da Aceleração de Vendas.

Outro ponto essencial sobre o tema é que, nos últimos anos, não foi só a pandemia da COVID-19 que afetou o Brasil: o país também vem enfrentando uma onda de sedentarismo – e de burnouts. Com 47% dos brasileiros sedentários, de acordo com o IBGE, o Brasil é considerado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) o mais sedentário da América Latina. Classificado como doença ocupacional em 2021, o burnout pode ser descrito como “estresse crônico de trabalho que não foi administrado com sucesso”. Diante desse cenário, a prática de esportes é uma grande aliada para evitar os dois problemas. 

Segundo a médica pediatra, adepta da Medicina do Estilo de Vida e também maratonista, Dra. Flávia Oliveira, “colocar um esporte dentro da rotina tão corrida da vida moderna é aprender a gerenciar o bem mais precioso que temos: o tempo”. Afinal, reforça, “a atividade física praticada de forma regular é um dos pilares para se atingir mais foco, organização e melhores resultados em diversas áreas da vida.” 

O “quartinho do desenvolvimento” e outras habilidades que o esporte agrega à rotina

Com uma filosofia forte de reforçar o esporte como uma prática que otimiza a rotina corporativa, a empresa de treinamento e consultoria de pessoas e equipes comerciais que buscam alta performance, utiliza os ensinamentos de Chaya em sua metodologia de trabalho. Um deles é chamado de “quartinho de desenvolvimento” pelo profissional.

“Para testar a resiliência no esporte e no trabalho, é preciso ver o quanto você pode aprender com esse processo. É aí que entra o “quartinho de desenvolvimento”, e digo que todos temos ele na cabeça: é um lugar apertado, ruim, que tentamos evitar, mas que, quanto mais tempo passamos nele, mais ele evolui. Por isso, é preciso cuidar desse lugar mental, onde fica cada treino, cada esforço, aprendizado e motivação para seguir em frente mesmo quando tudo que se quer é desistir”, explica.

A Dra. Flávia e Marcelo Scharra, sócio de Chaya e também fundador da Aceleração de Vendas, têm em comum o  treinador e campeão mundial de aquathlon Ademir Paulino. E o profissional também atrela a ideia que, para uma boa performance, seja nos esportes, na arte ou no trabalho, é preciso desenvolver as mesmas habilidades.

 “Consciência de onde se quer chegar e constância na prática da atividade, por exemplo, são capacidades superimportantes para que cada um consiga performance em seu potencial máximo”, afirma Ademir, que é o único treinador conhecido por levar os corredores de sua consultoria para treinar com os melhores do mundo no Quênia. 

E o  esporte está tão arraigado na cultura da empresa que a Dra. Flávia é uma das palestrantes e trainers da Aceleração de Vendas. Junto com Chaya, ela ajuda a disseminar aos clientes e colaboradores da consultoria a importância da prática das atividades físicas e como elas podem potencializar o trabalho e outras áreas da vida.

Hábitos saudáveis também influenciam nos resultados

Quando se fala de obter o potencial máximo de cada indivíduo, trata-se de estar apto  para poder correr – ou trabalhar – bem. De acordo com a médica Flávia Oliveira, a atividade física modula o humor, melhora a qualidade do sono, auxilia no manejo do estresse e tem impacto na modulação do apetite. 

“Como uma engrenagem, os elementos: sono, atividade física, dieta, manejo de stress, se conectam e se completam, fazendo-a girar de forma harmoniosa. Do ponto de vista empresarial, manter todos os funcionários ativos é uma das ferramentas mais poderosas para se alcançar maior e melhor produtividade: olhar o indivíduo como peça chave para que a empresa como um todo cresça é essencial para uma liderança compassiva e empática”, reforça.

Ainda sobre as lições que os treinos podem levar ao universo corporativo, a pediatra destaca que o esporte traz lições para a vida que podem ser utilizadas em tudo que nos rodeia: “inclusive a paciência  frente aos resultados e, mais ainda, na certeza de que controlamos apenas nossas ações e atitudes. Podemos controlar o processo, mas o resultado dele não está em nossas mãos”, finaliza.