Contra a Colômbia, Weverton revive confronto de sua estreia pela Seleção Brasileira

Muita coisa pode passar pela cabeça de Weverton quando ele subir as escadas do Estádio Nilton Santos para Brasil x Colômbia, pela Copa América. Foi nesse mesmo local, contra o mesmo adversário, que o goleiro fez sua primeira partida pela equipe principal da Seleção Brasileira. Mais de quatro anos depois, muita coisa mudou para Weverton, que vive a expectativa de novamente ser titular da Canarinho.

“Eu me sinto muito mais experiente depois desses quatro anos e meio, vindo de algumas coisas conquistadas e eu me sinto muito mais maduro, como atleta e como pessoa. Eu estou em um momento de muita felicidade na minha vida e que eu possa levar todo esse momento para dentro de campo e fazer mais uma grande partida”, disse.

A estreia de Weverton pela Seleção Principal veio depois dele já escrever uma bonita história com a Amarelinha. Medalhista de ouro nos Jogos Olímpicos do Rio 2016, o goleiro foi chamado em janeiro de 2017 para a disputa do Jogo da Amizade, uma partida para arrecadar fundos para as famílias das vítimas do acidente aéreo da Chapecoense.

“Foi um dia muito feliz para mim, apesar do motivo da gente estar ali. Era um dia triste por lembrar aquele momento, fizemos aquele jogo para ajudar as famílias. Mas, para mim, em especial, por estrear na Seleção Principal, fazendo um jogo pela primeira vez na Seleção e saindo com vitória, foi um motivo de muita alegria. Foi um jogo bom, deu para fazer algumas defesas. Fiquei muito feliz com a vitória e com a partida”, relembrou.

Como o amistoso foi uma fora do período de convocação para Data FIFA, o técnico Tite só pôde chamar atletas que atuavam no Brasil. À época no Athletico Paranaense, Weverton foi selecionado junto com Alex Muralha, do Flamengo, e Danilo Fernandes, do Internacional, e ficou sabendo que seria titular na véspera do jogo.

Um dia antes da partida, o Brasil treinou no Estádio Nilton Santos e o goleiro foi informado por Tite de que a meta brasileira ficaria sob sua responsabilidade, o que virou motivo de comemoração e ansiedade para toda uma família.

“Eu sempre converso muito com a minha esposa. Eu contei para ela que iria jogar e todo mundo ficou feliz em casa. Foi aquela expectativa, aquele dia de fazer tudo mais cedo e se preparar para o dia do jogo. Minha mãe sempre desejou ver o Galvão Bueno narrando uma defesa minha e, naquele dia, teve uma defesa de falta, que ela ficou muito contente. Foi um dia muito especial para mim, de muita alegria poder jogar e fazer um bom jogo, não sofrer gol e o time ganhar… Eu diria que foi uma noite muito feliz e especial e espero que esse próximo reencontro possa ser assim novamente”, contou.