Em seu 100º jogo pelo Furacão, Léo Cittadini foi decisivo para a vitória

Em seu centésimo jogo pelo Furacão, Léo Cittadini foi decisivo para a virada sobre o Fluminense. Nesta quarta (30), o meia deu a assistência para o primeiro gol rubro-negro, marcou um gol anulado pelo VAR, sofreu o pênalti cobrado por Nikão e foi um dos melhores em campo no triunfo por 4 a 1.

O Athletico saiu atrás no placar logo no primeiro minuto de jogo, mas conseguiu reagir, assumir o controle da partida e chegar à goleada. Segundo Cittadini, o gol que teve origem em seu passe para Richard foi fundamental para a reação.

“É difícil começar e logo a um minuto tomar o gol. A gente sabe da força do Fluminense. É um time muito qualificado e logo no início conseguiu fazer um gol por desatenção nossa. Mas tivemos força para reverter o placar. Demoramos para nos adaptar ao jogo e ao campo, que estava um pouco ruim. A partir do momento que a gente conseguiu entender o jogo, a vontade dos jogadores foi o diferencial para que a gente pudesse obter o resultado”, disse.

O camisa 18 também falou sobre o lance e sobre a comemoração com os companheiros. “Foi um passe bonito. Fui feliz em achar o passe para ele e ele mais feliz ainda no drible e na finalização. Acredito que nos deu um novo ânimo. Tanto que depois ainda tive um gol anulado, mas conseguiu contribuir para nossa reação. Foi bacana o Richard ter feito o gol. Antes do jogo a gente estava brincando que teria a lei do ex a nosso favor. Na hora em que nos reunimos ali, falamos para ter mais atenção e aproveitar os espaços, que a gente ia conseguir a vitória”, contou.

Cittadini comentou também sobre as mudanças na equipe feitas pelo técnico António Oliveira e sobre a qualidade do elenco athleticano. “Em nosso grupo, está todo mundo focado em ajudar. Hoje nós tivemos uma oportunidade. Mudou bastante o time em relação ao último jogo e demos conta do recado. Isso mostra a força do nosso elenco. Tem que estar todo mundo preparado para ajudar sempre. Passar um tempo na reserva não foi problema nenhum para mim. Respeito muito meus companheiros e a comissão técnica. E nunca deixei de trabalhar. Estou aqui no clube para ajudar sempre, independentemente se vou iniciar o jogo ou jogar cinco minutos. Estou aqui sempre para ajudar o Athletico a vencer e conquistar títulos”, ressaltou.

Antes do jogo, Cittadini recebeu uma camisa comemorativa por seus 100 jogos pelo Furacão. Depois, falou sobre a importante marca atingida pelo clube.

“São muitos jogos que guardo na minha memória como diferenciais na minha carreira. Este com certeza, por eu estar atingindo uma marca expressiva de cem jogos. A gente sabe o quanto é difícil atingir essa marca dentro do clube. Já falei em outras oportunidades o quanto eu sou grato ao Athletico Paranaense, por ter acreditado no meu potencial, por ter me ajudado a retribuir com títulos. Estou muito feliz em conquistar essa marca por este clube, que tenho um carinho muito grande”, afirmou.