Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Cuca se despede em entrevista encerrada com apagão

(Foto: Divulgação)  - Cuca se despede em entrevista encerrada com apagão
(Foto: Divulgação)

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - Figura central do título brasileiro do Palmeiras, Cuca deu sua última entrevista coletiva pós-jogo deste ano em circunstâncias inéditas. Neste domingo (11), uma queda de energia deixou a sala de imprensa do Barradão sem luz quando o técnico discorria sobre o triunfo por 2 a 1 sobre o Vitória.

A despeito do apagão, o domingo foi especial para Cuca, campeão brasileiro que não permanece no Palmeiras em 2017. "Sensação de extrema alegria em cima do jogo, de fechar com chave de ouro", falou o treinador, enquanto as luzes e o ar-condicionado ainda funcionavam.

"(Os jogadores) Fizeram uma grande partida. Eu disse que, depois de conquistar o título, o Palmeiras jogaria mais leve", lembrou Cuca.

Ele entrega um Palmeiras consolidado ao sucessor Eduardo Baptista. O triunfo no Barradão foi conquistado com apenas três titulares na equipe (Jaílson, Mina e Tchê Tchê).

"Hoje vimos que jogou o time reserva e jogou bem, com qualidade, conseguiu tocar a bola e fez dois gols. A gente acoplou tudo. Deram continuidade ao trabalho dos (atletas) que não vieram e jogaram bem. Fica o legado de uma base sólida, firme. Com o bom trabalho do Eduardo, tem tudo para dar certo", aposta o técnico.

A felicidade só dá lugar à tristeza quando o assunto é a tragédia da Chapecoense. O Palmeiras foi o último adversário da equipe catarinense, que dias depois sofreu acidente aéreo na Colômbia. Questionado sobre homenagens à Chape, Cuca mudou de semblante.

"É um dia em que você não pode pensar muito, senão você se emociona. Não adianta pensar no ano, na tragédia. O pouco que podemos fazer é a homenagem que fizemos hoje. Eles eram irmãos da gente. É o mínimo que podemos fazer. Espero que o pouco que fizemos pela família dê para diminuir essa dor", disse o treinador. O Palmeiras entrou em campo com a camisa da Chape e jogou com uma mensagem de apoio em seu próprio uniforme.

Na sequência da entrevista, Cuca elogiava o técnico da equipe sub-20 do Palmeiras, João Burse, quando a energia caiu. Burse sentiu o gostinho de comandar os profissionais durante alguns minutos, enquanto Cuca passou seus últimos minutos da temporada sentado tranquilo no banco de reservas. A equipe venceu, e todo o brilho do Palmeiras de Cuca só acabou na sala escura, no Barradão. O torcedor alviverde espera que 2017 seja iluminado.

JOGADORES

A partida no Barradão foi pouco empolgante, mas foi acompanhada por festa com a torcida e canto de "é campeão". Os jogadores do time alviverde se despedem de 2016 com sorriso no rosto.

Um dos pilares da campanha vitoriosa, Jaílson comemora um ciclo que começou e terminou contra o Vitória. "Eu comecei bem e, com a ajuda dos companheiros, terminamos também bem. O primeiro jogo foi 2 a 1 e esse também", lembra o goleiro ao canal SporTV. Ele estreou na última rodada do primeiro turno e desde então não perdeu um jogo sequer no Brasileirão. "Esse ano pra mim será inesquecível, vai ficar para a história."

O time fecha sua campanha vitoriosa e se prepara para receber o técnico Eduardo Baptista em 2017. O treinador que chega deve encontrar um elenco robusto, com boas peças de reposição e concorrência em várias posições. Gabriel, por exemplo, encerrou a temporada mostrando sua característica mais marcante: a polivalência.

"Nossa equipe fez um grande jogo, mostramos realmente o valor do elenco, de que sempre falamos", fala o volante de origem, que neste domingo foi lateral. "O elenco que veio era praticamente o grupo de apoio, que ajudou, que jogou um pouco menos neste ano. E mostrou futebol para ser até titular em outra equipe e honrar a camisa do Palmeiras", completa.