Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Férias devem limitar Palmeiras para última rodada contra o Vitória

O adiamento da última rodada do Campeonato Brasileiro, em virtude da tragédia responsável por vitimar 71 pessoas entre membros da delegação da Chapecoense, tripulação e profissionais da imprensa, deve apresentar um Palmeiras modificado para a partida contra o Vitória, marcada para o dia 11, no Barradão, em Salvador.

A reportagem apurou com pessoas ligadas à diretoria palmeirense que parte do elenco deve entrar de férias antes do último compromisso no Brasileiro, conforme planejamento firmado antes do acontecimento trágico com o avião da Chapecoense.

Desta forma, alguns jogadores com compromissos marcados devem ser dispensados antes do confronto na Bahia, que marcará a despedida do técnico Cuca.

Este plano será finalizado nos próximos dias, e a manutenção das férias antecipadamente marcadas por grande parte do elenco antes do ocorrido na Colômbia "não está descartada".

A reportagem entrou em contato com o presidente Paulo Nobre, por intermédio da assessoria do clube, sobre as questões polêmicas em relação à última rodada do Campeonato Brasileiro.

O dirigente máximo do campeão nacional evitou qualquer posição sobre o cancelamento da última rodada, defendido por Internacional, Figueirense e América-MG.

"Não me sinto confortável em emitir opinião sobre esse assunto, por estarmos na lista dos clubes que já não possuem grandes objetivos no campeonato. O que não significa que não jogaremos em busca da vitória na última rodada, caso ela aconteça", garantiu Nobre.

O presidente também se mostrou reticente ao falar sobre a decisão do Atlético-MG de não viajar a Chapecó para encarar a Chapecoense na última rodada; a CBF deve cancelar a partida.

"Essa situação é muito particular de cada clube, o que torna complicado avaliar a decisão deles [Atlético-MG]. Não seria justo e nem correto criticar a escolha do Atlético-MG", acrescentou Nobre.

O dirigente máximo do Palmeiras, próximo ao fim do mandato, promete auxiliar a Chapecoense nas próximas semanas. Mais do que vestir a camisa do clube -fornecedora e patrocinadores liberaram-, o time quer amparar a equipe catarinense de maneira direta.

"Já existem conversas sobre outras medidas de apoio. Nosso intuito é auxiliar em tudo o que estiver ao alcance do Palmeiras. Esses gestos não aplacarão a dor da tragédia, mas é obrigação da comunidade do futebol amparar a Chapecoense nesse momento difícil", garantiu.