Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Após críticas à CBF por mudança de jogo, presidente do Santos encontra Del Nero

Depois das duras críticas feitas pelo Santos à CBF antes e depois do jogo contra a Ponte Preta, cuja data e horários foram mudados em plena noite de sexta-feira, pegando o clube de surpresa, o presidente Modesto Roma Júnior se reuniu com Marco Polo del Nero nesta segunda-feira, na sede da entidade, no Rio, onde se queixou pessoalmente com o dirigente em virtude da alteração que prejudicou a logística e a preparação da equipe para a partida válida pela 34ª rodada do Brasileirão.

O confronto estava inicialmente marcado para acontecer às 21 horas de sábado, no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas, mas acabou sendo reagendado para 11 horas de domingo, no mesmo local. Como o anúncio da mudança aconteceu apenas na noite de sexta-feira, a mesma feriu o Estatuto do Torcedor, que exige que qualquer alteração de data seja realizada pelo menos 48 horas antes do início de um jogo.

A CBF anunciou a mudança de última hora depois que a PM alertou sobre o risco de confronto entre torcedores da Ponte Preta e do Guarani, que no sábado enfrentou o Boa no jogo de volta da final da Série C, em Varginha. Em Campinas, bugrinos se espalharam por vários lugares da cidade com a esperança de comemorar o título da Série C, mas o time mineiro ficou com o título ao vencer o duelo por 3 a 0, após empate por 1 a 1 na partida de ida.

Por causa da mudança de data e horário do jogo, o Santos atuou sob forte calor diante da Ponte no domingo em Campinas, onde ganhou por 2 a 1, de virada, e assumiu a vice-liderança do Brasileirão. Mesmo com a vitória, o técnico Dorival Júnior não poupou críticas à CBF, a quem pediu para "sair do pedestal" e se desculpar com o clube da Baixada Santista, admitindo ao time que cometeu um "erro grotesco".

"Não pode uma equipe saber que vai jogar às 11h da manhã de um domingo através dos sites e às 21h de sexta-feira, já em Campinas. O futebol brasileiro novamente está na contramão e é agredido por uma atitude desnecessária, sem um parecer mais sério. Acabamos usando isso para nos fortalecer diante da Ponte Preta", disse o treinador, em entrevista coletiva.

Revoltado com a decisão da CBF, o Santos também entrou em campo no domingo com uma mensagem de protesto no seu uniforme. Em vez dos nomes dos jogadores, estava estampado na camisa os dizeres "Faltou Respeito".

Após passar pela Ponte Preta e assumir a vice-liderança do Brasileirão, o Santos voltará a jogar pela competição apenas no próximo dia 17, contra o Vitória, na Vila Belmiro, onde espera poder reduzir a vantagem de seis pontos do líder Palmeiras, que no mesmo dia 17 encara o Atlético-MG em Belo Horizonte.

Grupo do Massa News no WhatsApp

Receba as principais notícias do dia direto no seu celular.

  Entrar no grupo