Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Atlético empata com o Ceará e segue na zona de rebaixamento

(Foto: Mauro Jefferson / Cearasc.com)	 - Atlético empata com o Ceará e segue na zona de rebaixamento
(Foto: Mauro Jefferson / Cearasc.com)

O Atlético até criou, mas, mais valorizou o empate do que propriamente foi em busca da vitória, no empate sem gols com o Ceará, na tarde deste sábado (11), no Estádio Presidente Vargas, em Fortaleza, pela 18ª rodada da Série A do Campeonato Brasileiro. Com o resultado, as duas equipes continuam na zona de rebaixamento.

O Atlético ocupa a penúltima colocação na tabela, com 15 pontos, enquanto o Ceará é o 18º, com 16 pontos ganhos. O rubro-negro ainda tem um jogo a menos.

Na próxima rodada, o rubro-negro recebe o xará carioca, o Flamengo, no próximo domingo (19), às 11 horas, na Arena da Baixada. O Vozão joga na próxima segunda-feira (20), às 20 horas, em São Januário.

Sem muitas chances, reclamação e lesão de Cirino

Apesar de ter sido um primeiro tempo bastante movimentado, as chances reais de gols não foram tantas, de ambos os lados. A melhor chance atleticana apareceu com Bergson, que subiu sozinho para cabecear, após cobrança de escanteio, mas colocou a bola por cima do gol de Éverson.

Em outra oportunidade, o atacante cobrou falta por cima da barreira, mas também por cima do gol.

Do lado cearense, Arthur tentou o chute no final da primeira etapa, mas Santos fez a defesa em dois tempos.

O lance mais reclamado da primeira etapa aconteceu aos 39 minutos, quando Marcelo Cirino partiu em arrancada e ganhou a frente do zagueiro Tiago Alves, que só conseguiu parar o atacante com falta na frente da área. O juiz deu apenas o cartão amarelo para o defensor para reclamação geral do time rubro-negro, que pedia a expulsão por ser o último jogador de linha.

Além disso, Marcelo Cirino sentiu muito do gramado e precisou ser substituído, chorando e com muitas dores na parte inferior da coxa esquerda.

Times criam no início, mas o zero no marcador permanece

O segundo tempo começou diferente do primeiro e com chances para os dois lados. Logo aos quatro minutos, Bergson dominou de costas, dentro da área, virou e chutou, mas Éverson salvou a equipe cearense e jogou para escanteio. Logo em seguida, na cobrança, a bola sobrou para Nikão, que bateu forte, mas a bola passou por cima do gol.

Nos minutos seguintes, foi a vez do Ceará perder as oportunidades. Leandro Carvalho arriscou de fora da área, mas Santos fez boa defesa e evitou o gol.

Aos oito minutos, o atacante apareceu novamente, agora dentro da área, mas bateu fraco e para fora.

A partir dos vinte minutos, a intensidade da partida diminuiu. Nem as mudanças nas equipes surtiu o efeito esperado pelos treinadores.

 Aos 44 minutos, em um rápido contra-ataque, Nikão recebeu na esquerda, driblou o zagueiro e bateu forte, mas sem rumo, desperdiçando boa chance para o rubro-negro.