Ceni mostra preocupação com São Paulo no Brasileirão: “Não podemos correr riscos”

São Paulo, 15 (AE) – Para Rogério Ceni, a semifinal da Copa do Brasil foi o limite do São Paulo. Não seria possível chegar mais longe, considerando as limitações do time nesta temporada. Isso faz o treinador, com uma postura serena na entrevista depois da eliminação na competição, ficar satisfeito com a equipe, apesar da desclassificação.

“Chegamos, dentro das condições que temos, aonde dava para chegar. Era o limite”, resumiu o treinador. “Poderíamos ter mais sorte no jogo do Morumbi. Lá fizemos um jogo para um melhor resultado”, acrescentou, citando o revés por 3 a 1 no duelo de ida no qual o São Paulo foi superior, mas o Flamengo, mais eficiente.

A final da Copa do Brasil será a primeira de que ficará fora o São Paulo na temporada. Já disputou a decisão do Paulistão e no dia 1º de outubro decidirá o título da Copa Sul-Americana com o Independiente del Valle, do Equador. Até a partida em Córdoba, na Argentina, a prioridade é outra: afastar o time da zona do rebaixamento no Brasileirão.

Para isso, o time de Rogério Ceni tem de vencer Ceará e Avaí, seus dois próximos rivais na competição nacional. O primeiro compromisso é domingo, às 16h, no Castelão. O segundo, dia 27, no Morumbi.

“A gente pensa no dia 1º, mas não podemos nos dar ao luxo de desperdiçar pontos no Brasileirão. Temos que tentar o melhor que a gente tem na parte física e técnica. Chegou em um ponto em que não dá mais pra deixar para depois. Vamos jogar com o máximo de força possível contra o Ceará e o Avaí”, avisou o treinador. “Precisamos usar tudo o que temos para não correr riscos no Brasileirão. Não podemos deixar acontecer isso”, completou.

DÉCIMA DERROTA

A eliminação do São Paulo ampliou uma sequência negativa de Rogério Ceni contra a equipe carioca. O treinador sofreu sua décima derrota para o rival rubro-negro e continua sem vencer o clube do qual já foi técnico.

Desde 2017, Rogério Ceni enfrentou o Flamengo como técnico dez vezes por três times diferentes. Saiu derrotado em todos os dez duelos. São seis reveses pelo São Paulo, três pelo Fortaleza e um quando comandava o Cruzeiro, no qual teve uma breve passagem em 2019. O outro time que o ex-goleiro comandou foi justamente o Flamengo, com o qual foi campeão brasileiro em 2020.

Sob o comando de Ceni, o São Paulo levou 15 gols e marcou apenas dois nessas seis partidas. O revés mais sentido aconteceu em novembro do ano passado. Na ocasião, o Flamengo, então comandado por Renato Gaúcho, aplicou 4 a 0 no Morumbi.

Ceni tinha a esperança de que seu time avançasse a mais uma final, mas o sonho do título inédito da Copa do Brasil terminou. É a primeira decisão em 2022 de que ficará fora o São Paulo, finalista do Paulistão, o qual perdeu para o Palmeiras, e da Copa Sul-Americana, cujo troféu buscará em final única contra o Independiente del Valle, em Córdoba, na Argentina, dia 1º de outubro.

Antes de decidir o título sul-americano, a equipe tricolor tem de se reerguer no Brasileirão, no qual corre risco de queda, já que soma 31 pontos, apenas cinco a mais que o Cuiabá, time que abre a zona de rebaixamento. O próximo compromisso é contra o Ceará, domingo, às 16h, no Castelão.