D’Alessandro marca em sua despedida, e Inter vira sobre o Fortaleza

O duelo entre Internacional e Fortaleza marcou a despedida de D’Alessandro, que encerrou a carreira aos 41 anos. E o argentino deixou sua marca ao fazer o primeiro gol do Colorado na virada por 2 a 1 na noite deste domingo (17), no Beira-Rio.

“Incrível. É um momento que precisei de uma força e apareceu. Uma mescla de felicidade e tristeza, uma carreira de 22 anos, mas hoje eu queria jogar, como aquele primeiro dia que virei profissional, hoje recebi a oportunidade de jogar e o que aconteceu depois vou guardar para o resto da vida. Minha mãe, meu pai e meus amigos estão aqui. E o torcedor merece. É difícil e inexplicável. Não consigo explicar o retorno que o futebol nos dá. Ele nos dá muito mais do que damos ao futebol. Vou sentir saudade”, afirmou D’Alessandro, na saída para o intervalo, em entrevista ao Premiere.

D’Alessandro marcou o gol de empate do Inter aos 51 minutos do primeiro tempo e foi muito ovacionado pelos torcedores no Beira-Rio. No minuto anterior, o Fortaleza havia aberto o placar com Yago Pikachu, em cobrança de pênalti assinalado após o chamado do VAR  em razão do puxão de Johnny em Landázuri dentro da área.

No segundo tempo, o Fortaleza teve outro pênalti aos oito minutos, mas Yago Pikachu mandou no trave. Aos 44 minutos, Alemão marcou o gol da virada após contra-ataque rápido e fechou o placar.

Após a partida, D’Alessandro foi homenageado e a emoção tomou conta do Beira-Rio, com torcedores chorando nas arquibancadas. O meia discursou e ouviu “Fica, D’Alessandro” da torcida. 

“Não imaginava. Eu imaginava jogar algum tempo hoje, um pouquinho. Quando Cauan (técnico interino) me confirmou que queria que jogasse, fiquei feliz. Na verdade, agradecido ao clube, por ele, por me darem uma chance de jogar por último no Beira-Rio. Eu não sonhava assim tão perfeito. Eu queria me despedir com vitória. Mas fazer um gol, cara… Muitos dizem que tenho uma estrela diferente, mas é como eu falo: é merecimento, é trabalho. Estou no lugar que eu quero, encerrei onde eu queria. O River (Plate) faz parte da minha vida, uma fase diferente da minha carreira, mas isso é inacreditável. A partir de amanhã serei mais um colorado torcendo pelo nosso clube”, disse o argentino.

Informações do SBT Sports