Perícia oficial não identifica o que Rafael Ramos disse a Edenilson

O laudo de leitura labial do Instituto-Geral de Perícias (IGP) do Rio Grande do Sul foi enviado nesta quarta-feira (8) à Polícia Civil, que investiga a acusação de injúria racial do volante Edenilson, do Internacional, contra o lateral-direito Rafael Ramos, do Corinthians. A perícia concluiu que não foi possível identificar o que foi dito pelo jogador do clube alvinegro.

Em nota, o IGP explica que o laudo é inconclusivo porque parte dos movimentos que compõem a fala de Rafael Ramos ocorrem na “porção interna da cavidade oral”. “Por essas razões, é impróprio que a perícia criminal oficial do Estado afirme, com responsabilidade do ponto de vista processual e científico, o que foi proferido pelo jogador na cena questionada”, justifica o instituto.

O caso também é investigado no âmbito esportivo. Edenilson e Rafael Ramos prestaram depoimento ao STJD e mantiveram as versões apresentadas anteriormente. O volante acusa o lateral de chamá-lo de “macaco” no empate por 2 a 2 entre Internacional e Corinthians, no dia 14 de maio, pelo Brasileirão.

O atleta do Corinthians chegou a ser detido suspeito do crime, mas o clube pagou fiança e Rafael Ramos foi liberado.

Informações do SBT Sports.