Rival vascaíno, Ituano quer coroar arrancada com 1º acesso à Série A

Conhecida pelos “exageros”, a cidade de Itu, no interior de São Paulo, a 102 quilômetros da capital, é a casa do Ituano Futebol Clube. O que nao é exagero é afirmar que o Galo rubro-negro será uma enorme barreira para o Vasco na luta cruzmaltina para retornar à Série A do Campeonato Brasileiro. Ainda mais porque a equipe paulista é concorrente direta por um lugar na primeira divisão nacional em 2023.

O Ituano ocupa o quinto lugar da Série B, com 57 pontos, dois a menos que o Vasco, que está em quarto, neste momento, levando a última vaga à Série A do ano que vem. Paulistas e cariocas estarão frente a frente neste domingo (6), às 18h30 (horário de Brasília), no estádio Novelli Júnior, em Itu, pela última rodada. O empate basta para o Gigante da Colina assegurar o retorno à elite, após duas temporadas. Já o time rubro-negro precisa apenas de uma vitória simples, em casa, para selar o acesso inédito à Série A em 75 anos de história do clube.

“Acredito que, pelas circunstâncias, sim [é o jogo mais importante da história do Ituano]. Tivemos a final [do Campeonato Paulista] contra o Santos, em 2014, quando fomos campeões. Um grande jogo. Mas a dimensão de ser um Campeonato Brasileiro e com esse plano de fundo, uma decisão na última rodada, realmente, acredito que sim”, avaliou Paulo Silvestri, gestor de futebol do Ituano, em entrevista à Agência Brasil.

Lutar pelo acesso não estava nos planos do clube paulista no início da Série B. De volta à segunda divisão após 15 anos, o Galo encerrou o primeiro turno na 16ª colocação, com 20 pontos, próximo à zona de rebaixamento. Na segunda metade da competição, porém, o time rubro-negro deslanchou. Em 18 rodadas, somou 39 pontos, assegurando, por antecipação, a melhor campanha do segundo turno.

“Tínhamos o componente de reaprendermos a jogar a divisão. Acredito que começamos com cautela, um pouco com o freio de mão puxado, mas percebemos à tempo. Fizemos uma mudança na comissão [Mazola Júnior, treinador campeão da Série C com o Ituano em 2021, foi demitido na 17ª rodada]. Nomeamos o Carlos Pimentel [que era auxiliar]. É um excelente profissional, que está conosco há muito tempo, um estudioso do futebol, que conhecia bem o elenco. Com isso, viramos protagonistas”, analisou Silvestri, que não vincula o planejamento de 2023 ao eventual acesso.

“Ao longo de mais de 10 anos de gestão profissional, a história mostra que, a cada ano, o Ituano precisa de progresso. Mais infraestrutura, mais recursos e chegar mais longe no que disputar. É nossa regra. Queremos fazer um Campeonato Paulista forte. É uma competição difícil e que conhecemos bem. Voltaremos à Copa do Brasil, depois de uma longa ausência [a última participação foi em 2018], o que é muito importante para o Ituano. E teremos o Brasileiro, na série que for. Queremos um 2023 melhor que 2022”, projetou o gestor.

Na quarta-feira (2), o Ituano informou que os ingressos para a decisão contra o Vasco estavam esgotados. Foram colocados à venda 14.970 bilhetes. Em casa, o Galo de Itu tem o sétimo melhor desempenho entre os mandantes, com 10 vitórias, seis empates e apenas duas derrotas – a última delas há quatro meses.

“Não há favoritos, mas acredito que vamos vencer”, concluiu o dirigente.

Se o Ituano conquistar o acesso, o futebol paulista deverá ter seis representantes na Série A de 2023. A última vez que o estado teve tantas equipes na elite foi em 2012, com Santos, São Paulo, Corinthians, Palmeiras, Ponte Preta e Portuguesa.

Informações da Agência Brasil