Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Com Réver e Rafael Vaz em alta, diretoria ignora busca por zagueiro

(Foto: Divulgação / Gilvan de Souza/ Flamengo) - Com Réver e Rafael Vaz em alta, diretoria ignora busca por zagueiro
(Foto: Divulgação / Gilvan de Souza/ Flamengo)

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - Esquecido no Vasco e marcado por falhas pontuais, Rafael Vaz chegou sob desconfiança ao Flamengo no dia 8 de junho deste ano. No dia seguinte, era a vez do contestado Réver deixar o Internacional e também desembarcar no Ninho do Urubu para a temporada 2016. Os novos integrantes se juntavam ao lesionado Juan e ao argentino Donatti, que ainda se adaptava ao Brasil. Encerrado o ano, aqueles que se mostravam rejeitados nos antigos times viraram solução na Gávea.

E os números mostram o bom trabalho dos surpreendentes Réver e Rafael Vaz. A dupla atuou em 26 jogos e liderou a zaga que teve o melhor desempenho no clube desde 2006: foram apenas 35 gols sofrido no Campeonato Brasileiro.

Em alta nas estatísticas, os dois se consolidaram também nas avaliações de comissão técnica e diretoria. Tanto que o conturbado setor defensivo nem sequer entrou na lista de prioridades para contratações neste mercado da bola que marca o planejamento para 2017.

"Não falamos em nomes. O que posso dizer é que buscamos um lateral [peruano Miguel Trauco, que já foi contratado], um meia e dois nomes no setor ofensivo", disse o diretor executivo de futebol do Flamengo, Rodrigo Caetano, mostrando não haver preocupações com o setor de Réver e Vaz.

Com a defesa já pronta para o próximo ano, o clube concentra as atenções do meio para frente. O rubro-negro negocia para fechar as contratações do volante Rômulo, do Spartak de Moscou, do meia Dario Conca, do Shangai Sipg, e do atacante Marinho, do Vitória. Tais tratativas só deverão ser concretizadas antes em 2017.