Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Conselheiro santista tem áudio racista vazado: 'Mulatos e pardos não têm caráter'

Um conselheiro do Santos teve um áudio vazado nesta quinta-feira no qual comete ofensas racistas contra jogadores do time. Adílson Durante Filho, ex-membro da direção do clube da Baixada, afirmou em uma gravação que "brasileiros pardos e mulatos são uma raça que não tem caráter".

A gravação ocorreu há cerca de três anos em um grupo de uma torcida independente do clube, a 'DNA Santista'. Na ocasião, 'Adilsinho', que foi diretor de futebol do time profissional entre 2008 e 2009 e hoje é secretário-adjunto de Turismo da cidade de Santos, fez comentário atacando pessoas negras e sua fala foi divulgada nas redes sociais.

"Sempre que tiver um pardo... O pardo o que é? Não é aquele negão, mas também não é o branquinho. É o moreninho da cor dele. Esses caras, você tem que desconfiar de todos que você conhecer. Essa cor é uma mistura de raça que não tem caráter", afirmou Adilson naquela ocasião.

Também ex-diretor das categorias de base do time santista e hoje membro do Conselho Deliberativo, ele foi além: afirmou ter respaldo acadêmico em sua declaração. "É verdade, isso é estudo. Todo pardo, mulato, tu tem que tomar cuidado. Não mulato tipo o P.. (um membro do grupo), o P... é tipo para índio, chileno, essas por**. Tô dizendo um mulato brasileiro. Os pardos brasileiros. São todos mau-caráter. Não tem um que não seja", explanou, dizendo que "estamos entre amigos" no início do áudio.

Durante a tarde desta quinta-feira, o clube da Baixada publicou uma nota oficial na qual relembra nomes da sua história como Pelé, Pepe, Coutinho e Zito para "ressaltar a harmonia entre negros e brancos" e afirma "repudiar qualquer forma de racismo", sem citar o nome do conselheiro.

Adilson Durante Filho, por sua vez, também se pronunciou em nota, na qual "pede desculpas a todos que se sentiram ofendidos", afirma ter se tratado de "um momento de infelicidade, onde foi levado pela emoção" e diz "não ter preconceito de cor, raça ou credo".

O prefeito da cidade de Santos, Paulo Alexandre Barbosa, também divulgou nota repudiando as falas do secretário e afirmou que ele está suspenso enquanto durar a sua licença. Na sequência, durante a tarde desta quinta-feira, Adilson pediu licença do cargo de secretário-adjunto de Turismo do município. O Santos, por sua vez, não se pronunciou quanto ao futuro do conselheiro dentro do clube.

Grupo do Massa News no WhatsApp

Receba as principais notícias do dia direto no seu celular.

  Entrar no grupo