Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Corintiano Bruno Paulo troca férias por academia para estreiar em 2017

DASSLER MARQUES

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - A apresentação de Bruno Paulo foi há exatos seis meses, mas a estreia no Corinthians ficou para 2017. Em razão de duas cirurgias, uma no pé esquerdo e outra para retirada de hérnia, o atacante que se destacou pelo Audax tem trabalhado durante as férias para recuperar o tempo perdido. No Rio de Janeiro, onde nasceu e cresceu como promessa do Flamengo, Bruno sabe que essa é sua grande oportunidade aos 26 anos.

O atacante também falou para a reportagem sobre os detalhes polêmicos de sua contratação. Ainda que reprovado pelos exames médicos feitos em seu pé esquerdo, a contratação foi efetivada pelo Corinthians. Bruno Paulo revela que ele próprio pediu uma oportunidade e alertou os médicos que havia feito seis partidas com o pé quebrado no Audax. Uma delas, em Itaquera, com um golaço que ajudou a eliminar os corintianos na semifinal do Paulistão.

Leia a entrevista de Bruno Paulo:

TRABALHO NAS FÉRIAS

Tem que fazer exercícios! Metade do ano, para mim, foi quase perdida. Fiz muita coisa então durante as férias. Corri na praia, fiz academia, fiz tudo para 2017 ser o meu ano. Para aproveitar mesmo só fui em Búzios, que é pertinho de casa. Fiquei no Rio esse período todo.

SEIS MESES SEM JOGAR NO CORINTHIANS

Por um lado, foi bom porque eu estava no Corinthians, mas por outro foi ruim pelo que houve comigo. Eu nunca tinha operado nada e operei duas vezes. Tudo é tempo de Deus, acho que não era minha hora.

REPROVADO NOS EXAMES

Eu cheguei e falei ao Joaquim (Grava, médico) e ao Ivan (médico também) que não aguentava mais meu pé esquerdo. Eu estava jogando assim, e eles falaram ’deixa comigo’ que vou resolver, e também gostaram da minha sinceridade. Não adianta chegar, treinar e não dar meu máximo, eu só seria mais um. No Audax, eu jogava com pé quebrado e doía muito. Eu disse então aos médicos, ’quero ficar muito, tenho o sonho de ficar’. Deu tudo certo.

GOL NO CORINTHIANS PELO PAULISTÃO

Ali meu pé já estava quebrado. Fiz seis jogos com o pé quebrado.

ALGUMA CHANCE DE SER EMPRESTADO?

Quero ficar, ninguém me falou nada (risos). Se quiserem me emprestar, acho que não vou, não (risos). Quero voltar logo a jogar, quero fazer o que gosto, que é jogar. Quero conquistar meu espaço e estou sem nenhuma dor.

CONCORRÊNCIA ENORME NO ATAQUE

Eu conversava agora sobre isso. A posição onde mais tem jogador é onde eu estou. Sai um, vem um. Mas agora é a minha vez (risos).

Obs.: no setor dele, pelos lados no ataque, o Corinthians tem Marquinhos Gabriel, Giovanni Augusto, Lucca, Marlone, Léo Jabá, Luidy (contratado) e ainda Kazim (ex-Coritiba). É possível que ainda chegue Pottker, da Ponte Preta.

CORINTHIANS NÃO ENGRENOU EM 2016

O que faltou eu não sei explicar. O grupo era bem fechado, todos são amigos, então não sei o que faltou para chegar. Eu via tudo ótimo, não vi nada demais acontecer de ruim. Não sei explicar porque não conseguimos a Libertadores.

EFETIVAÇÃO DE CARILLE

Eu achei ótimo, porque ele conhece todos os jogadores. Está sempre perto de quem chega, está ali há um tempão e é um ótimo treinador. Como pessoa, é excelente, educado, é gente boa e conversa com todo mundo. Agora que ele dê chance ao Bruno (risos). É o que estou precisando, de uma oportunidade. Onde ele me botar, vou tentar jogar.