Times ingleses criticam fundadores da Superliga por “arrogância” e “traição”

(Reuters) – Diversos clubes da liga inglesa repudiaram nesta terça-feira os planos de uma competição dissidente depois que os “6 grandes” do país anunciaram ser membros fundadores da Superliga, e o Everton tomou a dianteira repreendendo o que chamou de “arrogância disparatada”.

A proposta de 12 dos maiores times da Europa, incluindo os ingleses Manchester City, Manchester United, Liverpool, Arsenal, Chelsea e Tottenham Hotspur, foi recebida com críticas generalizadas.

Os outros 14 times da liga inglesa se reuniram nesta terça-feira com a Associação Inglesa de Futebol e “rejeitaram unânime e vigorosamente” os planos, e estão cogitando uma ação para sujeitar os seis clubes às suas regras.

“O Everton está entristecido e decepcionado de ver propostas de uma liga dissidente sendo impulsionadas por seis clubes”, disse a equipe de Liverpool em um comunicado.

“Seis clubes agindo inteiramente em interesse próprio. Seis clubes manchando a reputação de nossa liga e do esporte. Seis clubes escolhendo desrespeitar todos os outros clubes com os quais dividem a tabela da liga inglesa. Seis clubes desdenhando e até traindo a maioria dos torcedores de futebol em todo o nosso país e além”, afirmou.

A nova Superliga garantiria centenas de milhões de dólares por ano em renda extra aos times envolvidos, mas torcedores e outros times dizem que ela arruinaria o equilíbrio competitivo das ligas nacionais e prejudicaria o esporte como um todo.

À diferença da Liga dos Campeões, aberta a qualquer time que se destaque nos campeonatos nacionais, os 12 times originais da Superliga teriam vaga garantida todos os anos.

(Por Shrivathsa Sridhar e Rohith Nair, em Bengaluru)