Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Gremista Edílson alega 'revide' e descarta pedir desculpas a Dourado por agressão

O lateral Edílson admitiu o erro pela agressão ao colorado Rodrigo Dourado no Gre-Nal do último domingo, na Arena do Grêmio, pelo Campeonato Brasileiro. O jogo terminou empatado em 0 a 0 e no lance em questão ambos acabaram expulsos. As câmeras de TV flagraram somente uma sequência de socos do jogador gremista no rosto do rival, mas, ainda assim, nesta segunda-feira ele garantiu que o ato tratou-se de um revide.

"Gre-Nal é um jogo com adrenalina a mil. O lance começou com o Vitinho dando dois socos no Kannemann e eu acabei chegando com tudo na roda, no tumulto. Não sou louco de dar porrada do nada, mas eu errei. Errei de dar o soco. Mas só fiz o que fiz por ser revide. Se virem direito o lance, o braço dele pega no meu nariz. Eu sangrei e fui revidar", garantiu.

Apesar de tentar se explicar, Edílson admitiu o erro e garantiu que fez questão de pedir desculpas ao técnico Renato Gaúcho e aos companheiros no Grêmio. "Quero deixar bem claro que estou ciente da minha atitude, errei, pedi desculpas ao meus companheiros e quero pedir ao Renato, ao torcedor. Mas só aconteceu aquilo por ser um revide. Senão, eu teria de ir para o UFC e não jogar futebol."

Por mais que as imagens mostrem somente Edílson agredindo Dourado, depois de uma confusão iniciada por Vitinho e Kannemann, o lateral gremista insistiu que foi atingido pelo volante do Inter inicialmente. Também foi isto que ele disse ao árbitro Francisco Carlos do Nascimento, que inicialmente não expulsaria o jogador colorado, mas acabou "convencido" de fazê-lo. Na súmula, o juiz também alegou que Dourado atingiu Edílson com um soco.

"Não condeno o árbitro, ele acertou de me expulsar. Estava correto. Só achei que deveria ter expulsado o Vitinho. Foi um revide. Há um braço do Dourado no meu rosto. Sangrou. Quando ocorreu minha expulsão, eu falei para o árbitro que estava certo. Eu agredi, estou errado, mas não foi do nada. Mostrei o sangue na minha camisa. Foi por isso que ele expulsou o Dourado", explicou.

Mesmo admitindo o erro, Edílson se recusou a pedir desculpas para Dourado. "As imagens foram bem claras, acabei agredindo, mas foi um revide de tudo que tinha acontecido durante o lance. A respeito das desculpas ao Dourado, não sou amigo dele, então é melhor deixar para lá."