Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Jornalista sobrevivente do voo da Chape posta foto e agradece carinho

(Foto: Reprodução) - Jornalista sobrevivente do voo da Chape posta foto e agradece carinho
(Foto: Reprodução)

Um dos sobreviventes da tragédia com o voo da Chapecoense na Colômbia, o jornalista Rafael Henzel se manifestou pelas redes sociais, publicando uma foto sua no hospital. "Eu não tinha a mínima ideia do carinho e da torcida de vocês. Cada mensagem me enche de força para o tratamento. Como todo guerreiro Chapecoense vou firme pra voltar ao convívio. Rezem pelo Folmann , Ruschell e Neto", escreveu.

Henzel está na Unidade de Terapia Intensiva do Hospital San Vicente, em Medellín, onde se recupera das lesões sofridas na queda do avião - a maioria no pulmão, causando pneumonia. Os médicos destacaram a recuperação do jornalista. Rafael já está sentando, o que é considerado bastante positivo e favorece a recuperação, com melhor circulação sanguínea.

(Foto: Reprodução)(Foto: Reprodução)

Ontem (5), o jornalista também enviou uma mensagem para a rádio Oeste Capital de Chapecó, onde trabalha, e pela qual viajou para Medellín para cobrir a primeira partida da final da Copa Sul-Americana da Chapecoense contra o Atlético Nacional, que aconteceria na última quarta (30).

"Oi pessoal. Bom dia, tudo bom? Estou com a voz assim, porque está muito tempo sem usar. Dizer que está tudo bem. Estamos avançando. Deus me deu uma segunda chance. A gente vai ter que trabalhar muito. Todos nós, tá? Mãe fica bem. Tavinho tá bem. Um abração para casa e para curar todas as lesões que teve. O importante é que estamos vivos e prontos para próxima", disse Henzel em áudio.

Nesta segunda (5), médicos afirmaram que o jornalista não passará no momento por cirurgia nas fraturas da costela.

"Todos eles correm risco de ter infecção, pneumonia. Um dos maiores receios em UTI é infecção. Por isso precisamos ter cautela", afirmou o médico intensivista Edson Stakonski.