Autor de gesto racista, torcedor do Boca paga fiança e é liberado pela polícia

Enquadrado pela Polícia Civil por injúria racional, o torcedor do Boca Juniors, autor de um gesto racista na vitória do Corinthians por 2 a 0 sobre a equipe argentina, foi liberado pela polícia na madrugada desta quarta-feira (27), horas depois do duelo pela Libertadores. O autor do ato criminoso pagou uma fiança no valor de R$ 3 mil.

Identificado como Leonardo Ponzo, o torcedor argentino, que possui 43 anos, foi encaminhado ao DOPE (Departamento de Operações Policiais Estratégicas), da Polícia Civil, no bairro da Barra Funda. Ele prestou depoimento sobre o caso e, pouco depois, deixou o local acompanhado por advogados. Ponzo se recusou a falar com a imprensa.

A reportagem do SBT obteve as informações em apuração da repórter Daniele Brandi com o delegado César Saad, na sede do GARRA/DOPE. Ainda não há confirmação de que Leonardo Ponzo deixou o território brasileiro.

O Código Penal do Brasil prevê reclusão de um a três anos em casos de injúria racial, além do pagamento de multa. Nas redes sociais, o Corinthians divulgou um informe sobre o caso de racismo.

“O Sport Club Corinthians Paulista informa que o torcedor do Boca Juniors denunciado por torcedores do Corinthians por fazer gestos racistas à torcida do Timão – ele imitava um macaco no setor Sul da Neo Química Arena – foi detido e encaminhado ao Posto de Comando da PM do estádio. 

Posteriormente, o torcedor foi conduzido para o Dpto. De Operações Estratégicas da Polícia Civil, onde foi indiciado por injúria racial – artigo 140, parágrafo 3º do Código Penal.

O Corinthians repudia todo e qualquer ato de racismo e discriminação e agradece à Polícia Militar pela eficiência no apoio prestado. Esse fato só reforça a importância de nossa luta por um futebol sem ódio.”

O ato racista ocorreu durante um momento em que torcedores alvinegros e xeneizes trocavam provocações na arena localizada em Itaquera. Um vídeo mostra o torcedor argentino em clara manifestação discriminatória contra a torcida do Corinthians. O torcedor foi retirado do estádio pela Polícia Militar.

Este não foi o primeiro caso de racismo envolvendo equipes de Brasil e Argentina na atual edição da Copa Libertadores. No último dia 13, um torcedor do River Plate atirou uma banana em direção à torcida do Fortaleza, em jogo realizado em Buenos Aires. O clube argentino o puniu com uma pena branda. A Conmebol ainda deve anunciar alguma resolução sobre este caso.

Com a vitória por 2 a 0, o Corinthians assumiu a ponta do Grupo E de maneira provisória – a equipe de Vítor Pereira ainda pode perder a liderança ao fim da rodada. Na próxima rodada, o Alvinegro visita o Deportivo Cali, na Colômbia.

Informações do SBT Sports.