Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Manchester United avança na Copa da Liga e impõe 6º tropeço seguido ao City

Manchester United e Manchester City entraram em campo nesta quarta-feira, pela Copa da Liga Inglesa, com um grande peso nas costas. Além da tensão natural de um clássico, o confronto em Old Trafford poderia gerar um princípio de crise para um dos lados. E em mais um reencontro de José Mourinho com Pep Guardiola, quem levou a melhor foi o português do United, que garantiu a vaga nas quartas de final com o triunfo por 1 a 0.

Foi mais uma vitória do inconstante Manchester United, que havia sido atropelado pelo Chelsea no último domingo, pelo Campeonato Inglês, e goleado o Fenerbahçe no meio da semana passada, pela Liga Europa. Mourinho também vingou a derrota por 2 a 1 diante do City no Campeonato Inglês e eliminou o atual campeão da Copa da Liga.

Por outro lado, a derrota significa uma marca impensável para Guardiola. Talvez o treinador mais badalado do mundo, o espanhol acumulou sua sexta partida consecutiva sem vencer pela primeira vez na carreira. Neste período, foram três empates (Southampton, Everton e Celtic) e três derrotas (Tottenham, Barcelona e Manchester United).

Por mais que a partida significasse bastante para ambos os clubes, os treinadores levaram o confronto de formas diferentes. Mourinho ignorou o menor peso da Copa da Liga Inglesa e colocou o Manchester United em campo com praticamente todos os titulares. Já Guardiola escalou uma equipe quase que inteiramente reserva.

Ainda assim, o início de partida foi bastante equilibrado. O Manchester United exibia as mesmas falhas das últimas partidas e pouco criava, apesar da maior posse de bola. O City se resguardava e tentava no contra-ataque, mas não encontrava espaço para trabalhar.

Somente no segundo tempo o jogo ganhou em emoção. Aos três minutos, após ótima jogada de Ibrahimovic, Pogba ficou de frente para o gol e finalizou de esquerda. Caballero salvou e a bola ainda tocou na trave. Aos oito, saiu o gol. Ibrahimovic ganhou de Otamendi, foi à linha de fundo e rolou para o meio. Ander Herrera deixou passar e Mata chegou batendo de primeira para marcar.

Com a desvantagem, Guardiola colocou em campo Kolarov, Sterling e Agüero, mas o City seguiu com os mesmos defeitos e praticamente não assustou o gol de De Gea. Pelo contrário, as principais chances continuaram sendo do United. Como aos 33, quando Maffeo salvou os visitantes após outra boa jogada de Ibrahimovic, no último lance de perigo do clássico.

CHELSEA ELIMINADO - Em Londres, o Chelsea entrou em campo com uma escalação praticamente reserva e acabou dominado pelo West Ham, que venceu por 2 a 1, em casa, e se garantiu nas quartas. Kouyaté e Fernandes marcaram os gols do triunfo, para delírio da fanática torcida. Cahill diminuiu já nos acréscimos.

Em relação ao time que goleou o Manchester United no domingo, somente David Luiz, Cahill e Kanté foram mantidos entre os titulares. Com isso, o Chelsea viu o West Ham começar muito melhor e abrir o placar logo aos 10 minutos, quando Noble cruzou da direita e Kouyaté cabeceou firme da entrada da área, no canto esquerdo de Begovic.

Apesar da vantagem, o West Ham manteve-se melhor e perdeu boas oportunidades no primeiro tempo. E no início da segunda etapa, traduziu a superioridade no segundo gol. Após cruzamento da direita, Begovic fez grande defesa na finalização de Michail Antonio. Mas na sequência, o suíço Edimilson Fernandes bateu de fora da área para marcar.

O gol fez o técnico Antonio Conte mexer no Chelsea e lançar a campo Hazard, Diego Costa e Pedro. Só com os três em campo, o time visitante cresceu e passou a desperdiçar boas oportunidades. Diego Costa tentou duas vezes de frente para Randolph, mas foi Hazard, em chute forte que acertou a trave, que perdeu a principal chance. Somente nos acréscimos, Cahill aproveitou sobra na área para diminuir, mas já era tarde.

Quem também garantiu vaga nas quartas de final nesta quarta-feira foi o Southampton. Em casa, a equipe fez a festa da torcida e buscou a suada classificação ao vencer o Sunderland por 1 a 0. O único gol da partida foi marcado por Sofiane Boufal, aos 20 minutos do segundo tempo.