Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Meia finlandês do CSKA é suspenso por dois anos após exame apontar uso de cocaína

A Uefa anunciou nesta sexta-feira uma suspensão de dois anos ao meia finlandês Roman Eremenko, do CSKA Moscou, após exame antidoping apontar que ele usou cocaína. Traços da droga, que é considerada um estimulante proibido, foram encontrados em uma amostra de um teste realizado após o jogador atuar contra o Bayer Leverkusen, em setembro, pela Liga dos Campeões da Europa.

O resultado do jogo, que terminou em 2 a 2, será mantido, ainda que Emerenko tenha marcado o segundo gol do CSKA no confronto. A suspensão, por sua vez, é retroativa e começou a valer a partir do último dia 6 de outubro, quando o atleta foi provisoriamente suspenso.

O CSKA informou, por meio de um comunicado, que o clube e o próprio jogador pretende apelar desta decisão, anunciada no mesmo mês no qual a Corte Arbitral do Esporte (CAS, na sigla em inglês) reduziu de quatro para dois anos uma suspensão aplicada ao jogador argelino Youcef Belaili. Assim como Eremenko, ele testou positivo para uso de cocaína e depois entrou com recurso contra a punição.

Nascido em Moscou, Eremenko, de 29 anos, cresceu na Finlândia e já defendeu a seleção do país em 73 jogos, sendo um deles pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018. Na temporada passada, o meio-campista conquistou junto com o CSKA o título do Campeonato Russo, depois de ter se sagrado campeão ucraniano em 2009 com a camisa do Dínamo de Kiev.

"Nós absolutamente não podemos aceitar o uso de drogas, seja onde for que ela aconteça", afirmou Marco Casagrande, presidente da Associação Finlandesa de Futebol, em um comunicado no qual comentou o doping de Eremenko. A entidade não escondeu sua decepção com a revelação do caso, mas ofereceu ajuda ao jogador.

O CSKA é o atual quarto colocado do Campeonato Russo e ocupa o último lugar no Grupo E da Liga dos Campeões, atrás de Monaco, Bayer Leverkusen e Tottenham.

A punição a Emerenko foi anunciada nesta sexta-feira depois da ocorrência de um outro caso de doping na Liga dos Campeões, ocorrido na temporada passada, na qual o meia macedônio Arijan Ademi foi suspenso por quatro anos após testar positivo para o uso de esteroides proibidos após defender o Dínamo Zagreb contra o Arsenal em duelo válido pela fase de grupos da competição continental.