Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Na véspera do amistoso com Venezuela, Argentina festeja volta de Messi à seleção

Lionel Messi volta a vestir a camisa 10 da seleção da Argentina, nesta sexta-feira, em amistoso diante da Venezuela, em Madri. O craque está sem jogar pelo time nacional desde a eliminação para a França nas oitavas de final da Copa do Mundo da Rússia, há oito meses e meio. Para demonstrar a satisfação de ter seu maior astro em ação, a Associação de Futebol Argentino (AFA) divulgou um vídeo nas redes sociais no qual o jogador é exaltado e citado com dono de qualidades que lembram as virtudes de outras grandes figuras do país sul-americano, e não só do meio esportivo.

O vídeo diz que Messi tem a fé do papa Francisco; a velocidade de Juan Manuel Fangio, (pentacampeão mundial de Fórmula 1), carrega a bola como se tocasse como o bandoneonista e compositor Astor Piazzolla, além de encestar a bola como Manu Ginóbili, campeão olímpico e da NBA pelo San Antonio Spurs.

O texto ainda afirma que Messi faz os corações baterem como René Favaloro (renomado cardiologista). E na grande área é como Carlos Gardel, o célebre cantor. O canhoto camisa 10, segundo o locutor, conclui as jogadas como a tenista Gabriela Sabatini e nos deixa sem palavras como o escritor Jorge Luis Borges, além de "voar" como o carro esportivo Pagani Zonda e te deixa pintado como o artista plástico Benito Quinquela.

"Ainda assim, há gente que acha que ele é de outro planeta? Pode ser. De um planeta de gênios, chamado Argentina", termina o vídeo publicado nesta quinta-feira.

Sem rodeios, o técnico Lionel Scaloni ratificou a escalação do craque e anunciou a equipe que vai iniciar a partida: Franco Armani; Gonzalo Montiel, Gabriel Mercado, Juan Foyth e Lisandro Martínez; Giovani Lo Celso, Leandro Paredes, Nicolás Tagliafico e Lionel Messi; Lautaro Martínez e Gonzalo Martínez.

"É uma alegria ter o retorno de Messi. Apesar da minha juventude, tenho a possibilidade de treiná-lo. Tenho de fazer com que a equipe o acompanhe e que ele dê o melhor de si. Esperamos que sua volta aumente o potencial do time", afirmou o treinador, de 40 anos, em entrevista coletiva nesta quinta.

Scaloni espera que a Argentina tenha a iniciativa de propor o jogo durante os 90 minutos do duelo com os venezuelanos no amistoso que será disputado no estádio Wanda Metropolitano, casa do Atlético de Madrid, a partir das 17 horas (de Brasília). "O importante é que nossos jogadores sejam protagonistas nos jogos", ressaltou.

O elenco argentino treinou nesta quinta-feira por uma hora, em Valdebebas, local de treinamento do Real Madrid. Na primeira parte, os jogadores fizeram um trabalho físico. Na segunda, foram explorados aspectos táticos. Ao final, o grupo foi dividido em duas partes. Um trocou passes em campo reduzido, enquanto o outro testou jogadas ensaiadas. Após o treinamento, os jogadores receberam a visita de Agustina Barroso e Ruth Bravo, atletas da seleção feminina.

Quatro dias depois de enfrentar a Venezuela, a Argentina fará novo amistoso, contra o Marrocos, na casa do rival, em Tânger. Essas duas partidas servirão como preparação para a Copa América, que será realizada no Brasil entre 14 de junho e 7 de julho.

Grupo do Massa News no WhatsApp

Receba as principais notícias do dia direto no seu celular.

  Entrar no grupo