Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Presidente do Corinthians pede justiça e condena atitude da polícia

O presidente do Corinthians, Roberto de Andrade, falou pela primeira vez sobre a confusão envolvendo torcedores da equipe, flamenguistas e polícia, antes do empate por 2 a 2 entre os dois times ocorrido no último domingo, no Maracanã. Anteriormente, o dirigente havia se manifestado apenas através de uma nota no site oficial do clube.

A nota causara polêmica, pois muita gente entendeu que o dirigente estivesse defendendo os torcedores e criticando a ação da polícia. Nesta sexta-feira, Roberto de Andrade explicou que sua vontade é ver os culpados punidos, sejam eles de qual lado for.

"A nota diz isso, que se puna quem cometeu a infração. O confronto foi antes do jogo e tiveram duas horas para definir quem foram as pessoas e retirar do local. Não precisava deixar as pessoas presas sem camisa. Tem relatos de pessoas dizendo o que sofreram. Não estou dizendo que é injusto, mas não quero que se cometa outra agressão a quem não fez nada. A quem brigou, existe a lei", explicou o dirigente.

Roberto de Andrade ainda pede agilidade da justiça para definir quem são os verdadeiros culpados da confusão, que acabou com 30 torcedores corintianos presos. "Sou contra a violência em qualquer ponto. Nós pedimos que punam os que cometeram delito. Os que estão presos, não podemos dizer se cometeram ou não algum crime. A justiça tem de ver se tem alguém preso injustamente", explicou, para em seguida, mais uma vez explicar a nota divulgada no site. "Houve exagero com todos os torcedores e não era justo que 3 mil corintianos fossem presos, sem camisa, detidos até 22h, sofrendo ameaça. Uma ação não pode haver reação."

O dirigente ainda lamentou o fato do clube ser punido pela confusão e não poder utilizar o setor Norte do Itaquerão, onde as torcidas organizadas ficam durante os jogos. "Sei que alguns extrapolaram. Li em algum lugar hoje que no Brasil se assassina uma pessoa a cada nove minutos. Isso é mais que qualquer guerra no mundo. Querem imputar isso ao futebol. Se alguns cometem crime, tem de puni-los, mas não adianta tirar meu ingresso da arquibancada e punir o clube. Acredito que justiça, mas é preciso se punir as pessoas certas. Um rapaz diz que nem no estádio estava", lembrou.

Roberto de Andrade se refere ao torcedor André Luis Tavares da Silva. Torcedores do Corinthians se mobilizaram na internet e pediram a libertação do corintiano, já que familiares e advogados garantem ter provas de que ele sequer estava no estádio no momento da confusão.