Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Seleção brasileira é celebrada pelos peruanos e elogiada pela imprensa

A chegada da seleção brasileira a Lima deu o tom da força que a camisa amarela tem no exterior. Duas centenas de torcedores foram ao hotel que está servindo de concentração à equipe para recepcionar os jogadores na noite de domingo. Neymar foi o mais celebrado, e chegou a ser agarrado por um peruano que conseguiu furar o bloqueio da segurança. Nesta segunda, a imprensa local destaca o grande momento vivido pela equipe brasileira nas Eliminatórias.

A recepção foi bem diferente daquela vista em Belo Horizonte uma semana antes, quando praticamente ninguém esteve no hotel para recepcionar a seleção. Ao longo da semana, a presença de torcedores também acabou sendo tímida, aumentando apenas na sexta-feira, após a vitória sobre a Argentina.

No Peru, a seleção é bastante celebrada pelos locais e principalmente pela imprensa. A maioria dos jornais apresenta o Brasil a partir de um "Neymar e companhia", deixando claro quem foi eleito o principal jogador da equipe. O "La República" chama o jogador de "Ás do Barcelona" e diz que "nada no Brasil lembra a crise futebolística a qual estava submersa a seleção". O jornal pontua ainda que a chegada de Tite "devolveu ao Brasil o jogo de toque de bola e fantasia que levou a seleção a cinco títulos mundiais".

O periódico "El Comercio" destaca a "abismal diferença econômica" entre as equipes. Segundo a publicação, os titulares da seleção peruana valem 16,77 milhões de euros (R$ 61,21 milhões), enquanto o valor de transferência dos titulares do Brasil chegaria a 280,7 milhões euros (R$ 1,02 bilhões).

Apesar disso, os peruanos estão confiantes em um bom resultado na partida desta terça-feira (início da madrugada de quarta no Brasil). Todos os ingressos para a partida que será realizada no Estádio Nacional foram vendidos. E o técnico argentino Ricardo Gareca, que treina a seleção peruana, tem sido taxativo nas entrevistas: "O Peru pode ganhar de qualquer seleção".