Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Sem representante do Palmeiras, FPF define datas e horários das quartas de final do paulistão

(Foto: Reprodução) -  FPF define datas e horários das quartas de final do paulistão
(Foto: Reprodução)

A Federação Paulista de Futebol divulgou nesta quinta-feira as datas e horários das partidas das quartas de final do Estadual. O Palmeiras e o Santos jogarão no sábado. Corinthians e São Paulo entrarão em campo no domingo.

O Palmeiras visitará o Novorizontino às 17h, antes do duelo entre Santos e Red Bull Brasil, no Pacaembu, às 19h30. No dia seguinte, o São Paulo enfrentará o Ituano, no Morumbi, às 16h. Na sequência, o Corinthians jogará contra a Ferroviária, em Araraquara, às 19h.

Santos e Palmeiras farão o jogo de volta na terça-feira. O time alvinegro vai ao Moisés Lucarelli, às 20h, e a equipe de Luiz Felipe Scolari receberá o adversário às 21h, no Pacaembu. Na quarta-feira, o São Paulo encarará o Ituano em Itu, às 19h15, e o Corinthians jogará contra a Ferroviária, às 21h30, em Itaquera.

A definição foi confirmada após reunião com alguns dos dirigentes da entidade. O Corinthians foi representado pelo presidente Andrés Sanchez. Raí, diretor-executivo do São Paulo, estava acompanhado do gerente Lugano. O Santos mandou Bruno Carbone, membro do comitê de gestão. Juninho Paulista representou o Ituano. Também estavam presentes os presidentes do Novorizontino, Genilson Santos; do Red Bull Brasil, Thiago Escuro; e o diretor de futebol da Ferroviária, Roque Junior.

Somente o Palmeiras não mandou um representante - o clube rompeu com a Federação Paulista por causa da final do Estadual do ano passado. Por se declarar rompido com a entidade desde abril do ano passado, o clube foi o único a não ter dirigentes no encontro.

O presidente do Palmeiras, Maurício Galiotte, declarou rompimento com a FPF por acreditar que o clube foi prejudicado pela entidade em abril do ano passado, na final do Estadual contra o Corinthians. A equipe alviverde entende que houve interferência externa na arbitragem, que voltou atrás na marcação de um pênalti sofrido pelo atacante Dudu.

A ausência na reunião não foi o primeiro gesto de rompimento. No ano passado, por exemplo, o Palmeiras se recusou a pegar a taça e as medalhas pelo vice-campeonato do Paulista e também não enviou os jogadores para a festa de premiação pelos destaques da competição. A equipe teve em 2018 oito atletas escolhidos na seleção dos melhores da competição.

Grupo do Massa News no WhatsApp

Receba as principais notícias do dia direto no seu celular.

  Entrar no grupo