Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

União das famílias é experiência única, dizem parentes de sobreviventes

FABIO VICTOR E ADRIANO VIZONI, ENVIADOS ESPECIAIS

MEDELLÍN, COLÔMBIA (FOLHAPRESS) - Na tarde deste sábado (3), dois parentes dos sobreviventes da queda do avião da Chapecoense deram um depoimento à imprensa no hospital em que todos os quatro estão internados, em Rio Negro, a 45 km de Medellín.

Ambos com broches da bandeira colombiana na camisa, Flávio Ruschel, pai do lateral Alan Ruschel, e Roger Valmorbida, primo do jornalista Rafael Henzel Valmorbida, fizeram cada um um comentário e pediram para não responder a perguntas dos jornalistas.

Ambos agradeceram muito o apoio do povo e das autoridades colombianas. Roger embargou a voz e ficou com os olhos marejados ao falar do apoio e da solidariedade que encontraram no país.

Parentes dos quatro sobreviventes estão na Colômbia acompanhando a recuperação. Todos continuam em estado crítico, mas Alan e o goleiro Jackson têm uma situação melhor que a do zagueiro Neto e de Rafael. Não há previsão de quando eles serão transferidos para o Brasil.

Leia a seguir os depoimentos, na ordem em que foram dados:

Roger Valmorbida, primo do Rafael Henzel:

"Nós estamos nos fortalecendo a cada dia aqui na Colômbia. Está sendo uma luta constante, minuto a minuto nós estamos lutando, está sendo emocionante, cada vitória, cada conquista que os nossos parentes estão conseguindo são momentos de euforia e alegria. Depois de todo o sofrimento que passamos nas primeiras horas, após saber do acidente, de chegar aqui na Colômbia sem muita informação, acompanhar a evolução clínica deles está sendo uma coisa fantástica.

Estamos com todas as famílias unidas, as quatro famílias juntas, trocando experiências, um ajudando o outro. Está sendo uma experiência única.

E quanto ao povo colombiano... não tem o que falar... Ninguém esperava no Brasil uma atitude dessa. Esperávamos chegar aqui e encontrar um caos, uma desorganização, porque foi tragédia, e numa tragédia não tem como se preparar para atender a todos.

E não, muito pelo contrário. O que encontramos foi uma estrutura organizada, todos trabalhando com celeridade, fazendo de tudo pra nos atender, pra facilitar nossa estadia, fazendo de tudo pelos nossos familiares internados.

Está sendo uma coisa inexplicável. Não há palavras, é só sentir. Já acompanhei na imprensa, vocês repórteres que estão aqui, que já fizeram matéria sobre isso, mas não podemos parar de falar sobre isso. O tratamento que estamos tendo aqui na Colômbia. São dois pontos que temos de frisar bem, temos de frisar bem isso. Muito obrigado."

Flávio Ruschel, pai de Alan Ruschel:

"Só quero passar a todos que o Alan está bem, evoluindo minuto a minuto, já não é mais nem dia a dia, é minuto a minuto.

[Quero] agradecer ao povo colombiano, às autoridades colombianas, agradecer ao carinho do povo brasileiro, agradecer às autoridades brasileiras por todo o apoio que têm nos dado. E dizer que realmente a gente está muito grato por todo esse tratamento que nós estamos tendo.

[Quero] frisar que ninguém está medindo esforços para que os todos os quatro que estão aqui se recuperem bem. Como o Roger [primo de Rafael Henzel] disse, estamos unidos, trocando experiências, um tentando ajudar o outro de alguma forma. Mas contentes com toda essa recepção e a evolução de todos os quatro que conseguiram escapar dessa tragédia por um verdadeiro milagre. Obrigado."