Zidane afirma ter jogado lesionado contra o Brasil na Copa de 2006

Zinedine Zidane completa 50 anos de idade nesta quinta-feira (23). Um dos maiores ídolos do futebol francês, Zizou concedeu uma longa entrevista ao jornal L’Équipe para analisar diversos temas da carreira. O carrasco do Brasil revelou, por exemplo, que atuou lesionado no confronto pelas quartas de final da Copa de 2006. O ex-meia e atual técnico também comentou o último momento da carreira como atleta: a cabeçada em Materazzi.

Segundo o depoimento de Zidane, a partida contra a seleção brasileira, em 2006, era uma ocasião imperdível. O ex-atleta revelou que teve uma pequena contusão nas oitavas de final, quando a França passou pela Espanha. A oportunidade de reencontrar o Brasil em uma Copa foi aproveitada ao máximo pelo antigo camisa 10.

“Aquele foi um dos meus melhores jogos com a França, e eu estava lesionado. Eu me machuquei contra a Espanha, marcando o terceiro gol. Tinha um caroço na coxa, quase ninguém sabia. Passo por exames, dizem que não vou jogar contra o Brasil. Eu respondo: ‘O quê? De jeito nenhum!’. A equipe médica fez de tudo para eu jogar, porque eu queria muito. E joguei! Cada jogo podia ser meu último. Tinha tanto isso na cabeça que era impossível não jogar contra o Brasil. Queria aproveitar cada segundo. Foi tão forte”, afirmou Zizou. 

Outro momento marcante do francês na Copa do Mundo de 2006 foi justamente o adeus do jogador aos gramados. O último ato da carreira do jogador Zidane foi cabeçada no zagueiro Materazzi, poucos minutos antes da final ser decidida nos pênaltis. O fim daquela história motiva o ex-jogador a assumir um dia o comando da França.

“Em campo ocorrem insultos, todo mundo fala um do outro, às vezes mal, mas você não faz nada. Naquele dia, aconteceu o que aconteceu. Ele desencadeou algo falando da minha irmã. Um segundo e acabou, mas então você tem que aceitar. Não tenho orgulho, mas faz parte da minha jornada. Naquela época, eu era mais frágil. Às vezes é nesses momentos que você pode fazer algo errado… Termina assim. É difícil, mas esta é minha carreira. A história da minha vida. Com meus dois gols na final de 1998. É por isso que digo que a seleção não terminou para mim. De forma alguma, não quero terminar assim. Não acabou”, completou.

Depois de se aposentar, Zinedine Zidane conseguiu se estabelecer em de maneira rápida como um treinador vitorioso, com três títulos da Champions League no currículo. O francês está livre no mercado desde que deixou o Real Madrid, em junho de 2021.

Informações do SBT Sports.