Atletas do futsal de Campo Mourão sonham em chegar à seleção brasileira

O gramado dá lugar à quadra, mas o sonho de vestir a camisa amarelinha e representar a Seleção brasileira mundo afora é o mesmo para muitos meninos e meninas. Em Campo Mourão, um dos berços do futsal no Paraná, os atletas Caio Cesar Bomfim, de 20 anos, e Luiz Fernando Dubena, 22, vislumbram o dia que chegarão ao auge da carreira.

“Assim como o sonho de muitos jogadores, o meu não poderia ser diferente, que é de um dia chegar à seleção brasileira”, disse Luiz, ala-direita que acabou de voltar de Portugal, onde defendia o Electrico. “Espero, um dia, jogar pela seleção e ser campeão pela equipe adulta do Campo Mourão futsal”. afirmou Caio, pivô que ainda aguarda ser promovido ao time principal.

A caminhada deles rumo à meta profissional passa diretamente pelo time da cidade. Ambos iniciaram a carreira nas categorias de base da Associação Campo Mourão (ACMF) e fizeram parte do projeto social do time que ajuda crianças e adolescentes carentes do município.

“As crianças deixam de estar na rua para ter conceitos de cidadania. Estamos formando cidadãos que podem ser atletas, mas também podem ser profissionais de qualquer área”, disse Anderson Hertz, gestor do clube.

O projeto, tão importante para a região, foi temporariamente desativado por conta da pandemia de Covid-19, mas desde 2012 já atendeu mais de 3 mil crianças e adolescentes, de 7 a 17 anos. São 12 núcleos de atendimento divididos em bairros.

Além de receber aulas de futsal e ganhar uniforme completo, os participantes têm acesso a palestras e atividades de conscientização social contra as drogas e outras questões. Seguindo com o propósito de impactar a sociedade, também são oferecidas bolsas de estudo em faculdades para os meninos da base da equipe. “Temos atletas que cursam Educação Física, Engenharia, Direito e Fisioterapia. Não somos apenas uma equipe de alto rendimento, também fazemos nossa parte por um mundo melhor”, afirmou Hertz.

Das quadras do bairro para a Europa

Luiz Fernando é natural de Campo Mourão e desde criança jogava futsal no bairro Lar Paraná. Com 13 anos, começou a treinar pra valer e, aos 16, foi campeão paranaense sub-17. No ano seguinte, foi promovido ao profissional. Ele chegou a tentar carreira no futebol de campo, mas percebeu que a paixão estava nas quadras.

“Disputei duas ligas Nacionais com a camisa do Campo Mourão e, no fim da última temporada, recebi uma proposta de Portugal e achei que estava na hora de buscar algo diferente para a minha carreira. Em janeiro deste ano fui para Portugal e retornei no final de maio. Estou de férias no Brasil e, em agosto, pretendo retornar para Portugal”, contou.

Tempo para os treinos e para a faculdade

Caio está no terceiro semestre do curso de Fisioterapia, uma área chamou a atenção do atleta, justamente pelo estudo da anatomia humana e a possibilidade de atuação na área esportiva. O jogador ganhou uma das bolsas oferecidas pelo time. “Sempre tive grande interesse em ingressar em uma faculdade, mas as condições a realizá-la eu não teria. Graças a essa oportunidade, eu consegui iniciar meus estudos”, disse.

O atleta, que sonha muito em breve ser promovido ao time adulto, divide seu tempo entre os treinos intensos e os livros de anatomia. “Com os treinos e as aulas diariamente acaba sendo bem cansativa a rotina, mas com dedicação consigo conciliar os dois muito bem”, contou, falando sobre o que espera para o futuro. “Além de querer um dia estar na seleção brasileira, quero construir uma família e viajar pelo mundo, podendo ser um exemplo e dando orgulho para meus pais”, arrematou.