Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Copagril vence o Keima por 1 a 0 e fica com o título da Chave Ouro

(Foto: Divulgação) - Copagril vence o Keima por 1 a 0 e fica com o título da Chave Ouro
(Foto: Divulgação)

Mais de três mil pessoas lotaram o Oscar Pereira para empurrar o Keima Futsal/AFP, em jogo válido pela partida de volta da final da Chave Ouro 2016. Precisando da vitória para seguir vivo na disputa pelo título inédito, os donos da casa perderam por 1 a 0, em um chute que desviou em Marinho antes de morrer no gol. Com o título, o Copagril agora soma três conquistas, ficando atrás apenas do Cascavel como os maiores vencedores do Paraná.

Após a derrota por 2 a 0 em Marechal Cândido Rondon, os comandados de Baiano se viram obrigados a partir para cima. Desde o início, com chutes de longa distância e tentativas de infiltração, o time rubro-negro tentava passar pela barreira chamada Deivid, o goleiro do Copagril.

Na primeira etapa, Marinho e Richard foram os que mais assustaram os visitantes. Já a principal chance aconteceu no minuto final, graças a sexta falta cometida pela equipe rondonense. Thales teve a chance de botar o Keima em vantagem, na batida do tiro livre, mas pegou mal na bola e jogou por cima do gol.

O tempo final seguia o mesmo roteiro do início da partida, com o time de Ponta Grossa tendo boas chances para marcar. Se Deivid garantia o empate de um lado, Di Fanti foi fundamental para interromper os contra-ataques adversários. Apenas em uma bola, depois de cobrança de falta com desvio em Marinho, o goleiro do Keima não teve o que fazer.

Naquela altura, aos oito minutos do segundo tempo e precisando agora de dois gols, o rubro-negro teve que se lançar ainda mais ao ataque. Vitinho e Richard tiveram boas oportunidades, mas embarravam no azar ou então no goleiro do Copagril. Restando seis minutos para o fim, o técnico Baiano colocou Marinho como goleiro linha, um último suspiro para buscar a virada. No soar do apito final, o placar de 1 a 0 permaneceu, dando o título para Marechal após três anos.

Colaboração Assessoria de Imprensa.