Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Keima aposta no bom retrospecto para semifinal da Ouro

(Foto: Divulgação) - Keima aposta no bom retrospecto para semifinal da Ouro
(Foto: Divulgação)

A equipe do Keima Futsal/AFP aposta no bom desempenho obtido até agora para brigar pelo título da competição. O rubro-negro alcançou o primeiro lugar do grupo A, com 18 pontos em oito jogos. Dentro de casa, nenhum time conseguiu superar a equipe ponta-grossense – todas as vitórias foram com mais de um gol de diferença. Não por acaso, os comandados de Baiano possuem o melhor ataque do torneio e, nesta semana, se preparam para o primeiro duelo das semifinais, fora de casa, contra o Marreco.

Se o Keima possui mais de 100 gols na competição é por causa do rendimento dentro de quadra. Quando precisava da vitória contra o Umuarama para confirmar o primeiro lugar no grupo, alcançou o maior número de chutes por partida da segunda fase. Ao todo, foram 43 remates, três a mais do que o segundo, no jogo em Castro frente o Caramuru. Já a menor frequência de chutes aconteceu no segundo jogo da fase anterior. Em Foz do Iguaçu, apenas 18 chutes foram dados pelo rubro-negro.

Se chutar é sinônimo de mais chances de fazer um gol, trabalhar bem a jogada é mais fundamental ainda. Por isso, a equipe do Keima Futsal apresentou um baixo número de passes errados na segunda fase. O maior deles foi no Ginásio Oscar Pereira, no jogo com o Toledo. Naquela ocasião, foram 12 erros de passe. O menor foi justamente na estreia da segunda fase, fora de casa, também frente a equipe toledense, errando apenas três vezes. Por três vezes ainda o rubro-negro errou seis passes em cada partida. Duas contra o Umuarama e em casa no jogo com o Foz.

Quanto aos desarmes, o jogo em que os atletas do Keima menos roubaram a bola do adversário foi contra o Caramuru em Castro, totalizando 44 desarmes. Em Foz e no Oscar Pereira contra o Caramuru, o rubro-negro roubou mais de 70 bolas. Já o maior desempenho aconteceu no jogo com o Toledo, atuando em Ponta Grossa. Foram 81 desarmes ao longo do jogo. Em compensação, este foi um dos duelos em que o Keima menos chutou na segunda fase, somando 23 finalizações.

Colaboração Assessoria de Imprensa.