Mancini explica troca do América-MG pelo Grêmio e admite: “Reação precisa ser incrível”

Apresentado como novo técnico do Grêmio nesta sexta-feira (15), Vagner Mancini explicou por que deixou o América-MG para aceitar o desafio de comandar o Tricolor gaúcho na luta contra o rebaixamento na Série A do Campeonato Brasileiro. O treinador ainda admitiu que a reação precisa ser “incrível” para a equipe permanecer na elite do futebol nacional.

“Não tenha dúvidas que o que pesou foi o conhecimento que tenho do grupo do Grêmio. Não vive um bom momento, mas tem condições de começar uma reação, que precisa ser incrível a partir de domingo. O que me fez aceitar? O tamanho do clube. Falo com muito orgulho que já vesti esta camisa e participei de conquistas. Foi um dos fatores. A saída do América-MG foi muito leal. Sempre dialogamos com respeito. Quando você faz de peito aberto, olho no olho, sai da melhor forma”, disse o treinador.

O Grêmio é o penúltimo colocado do Brasileirão, com 23 pontos, cinco a menos do que o Santos, primeiro time fora da zona de rebaixamento. A equipe volta a campo neste domingo, contra o Juventude, em sua arena em Porto Alegre.

“Os números não são favoráveis, mas já estive em outros lugares assim e rapidamente conseguimos. Precisamos mostrar ao atleta que é possível. Quando entra em campo, é como quando você acorda, abre a janela e o Sol aparece. Não podemos perder a convicção. Temos um jogo domingo e cada partida precisa ser encarada em decisão. Os números estão aí e precisamos transformá-los”, afirmou.

Informações do SBT Sports.