Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Dovizioso quebra tabu de sete anos e ganha pela 2ª vez na MotoGP

- Dovizioso quebra tabu de sete anos e ganha pela 2ª vez na MotoGP

Na MotoGP desde 2008, Andrea Dovizioso é o típico piloto coadjuvante. Fez mais de 30 pódios, nunca ficou abaixo do oitavo lugar na classificação geral - chegou a fechar a temporada 2011 em terceiro e a do ano seguinte em quarto -, mas também não costuma brilhar. Neste domingo, foi à forra.

Depois de dominar a pista molhada de Sepang para fazer a pole position no GP da Malásia no sábado, neste domingo ele voltou a mostrar intimidade com a chuva para vencer a prova, a penúltima da temporada. Foi apenas a segunda vitória dele na carreira. A primeira havia sido em 2009, na Grã-Bretanha.

O triunfo de Dovizioso fez a temporada 2016 bater um recorde na história da MotoGP. Nunca tantos pilotos haviam vencido provas num mesmo ano. Com o italiano da Ducati, são nove: Jorge Lorenzo, Valentino Rossi (ambos da Yamaha), Marc Márquez, Dani Pedrosa (da Honda), Jack Miller (australiano da nanica Marc VDS), Andrea Iannone (Ducati), Cal Crutchlow (LCR Honda) e Maverick Viñales (Suzuki).

A prova deste domingo, porém, já não valia tanto quanto as demais. Marc Márquez, 11.º na Malásia, já havia conquistado o título do Mundial na Austrália, na etapa passada, de forma que a corrida em Sepang só valia para definir posições abaixo. Valentino Rossi aproveitou, chegou em segundo e, com 236 pontos, garantiu o segundo lugar na temporada, repetindo o resultado de 2014 e 2015.

Jorge Lorenzo completou em terceiro, mas ainda não garantiu o terceiro lugar geral. Ele tem 208 pontos, contra 191 do também espanhol Maverick Viñales, que chegou em sexto. Dovizioso pulou para quinto, ultrapassando Dani Pedrosa, que está machucado, e Cal Crutchlow, que não completou.

Entre os construtores, diminuiu a diferença da Yamaha (328) para a Honda (349), assim como da Movistar Yamaha (408) para a Repsol Honda (429) entre as equipes. Só na etapa da Comunidade Valenciana, dia 13 de novembro, na Espanha, é que esses títulos serão definidos. A equipe principal da Honda conta com Marc Márquez e está desfalcada de Pedrosa (Nicky Hayden e Hiroshi Ayoma têm se revezado na moto). A Yamaha tem Jorge Lorenzo e Valentino Rossi.