Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Casaquistão tira medalhas olímpicas de 3 atletas após reanálises apontarem doping

O Casaquistão confirmou nesta quinta-feira que três de seus atletas, entre os seis que foram desqualificados de edições anteriores dos Jogos Olímpicos, tiveram suas medalhas olímpicas conquistadas em Pequim-2008 retiradas após caírem em reanálises de testes antidoping.

O comitê olímpico do país afirmou, por meio de um comunicado, que as levantadoras de peso Irina Nekrasova e Maria Grabovetskaya, que ganharam respectivamente prata e bronze na China, assim como Aset Mambetov, bronze na luta, foram desqualificados de forma retroativa de suas disputas nesta edição dos Jogos.

A entidade casaque informou que recebeu a confirmação do Comitê Olímpico Internacional (COI) de que "traços de substâncias proibidas foram encontradas" nas reanálises dos testes antidoping destes atletas.

A Federação Internacional de Levantamento de Peso também havia revelado anteriormente que os casos de Grabovetskaya e Nekrasova diziam respeito ao uso de vários esteroides anabolizantes, sendo que a primeira delas testou positivo para três diferentes substâncias proibidas em uma única amostra. Já autoridades da luta olímpica não disseram qual substância foi encontrada no teste de Mambetov.

De acordo com a mídia casaque, Grabovetskaya e Mambetov irão se recusar a devolver suas medalhas porque não se consideram culpados pelos casos de doping. O país também sofreu com desqualificações retroativas dos Jogos de 2008 dos levantadores de peso Vladimir Sedov e Maiya Maneza, enquanto outro atleta desta modalidade pego no doping, Almas Uteshov, foi excluído da Olimpíada de 2012, em Londres.

O Casaquistão é um dos países com maior número de casos de doping revelados após reanálises de testes promovidas neste ano pelo COI, tendo também perdido três medalhas de ouro olímpicas no mês passado.

O programa de reanálise de exames provocou o surgimento de pelo menos 98 novos casos de doping envolvendo atletas que foram aos Jogos de 2008 e 2012 e testaram positivo para substâncias proibidas, muitos deles detectados por meio de recentes avanços nas técnicas para flagrar o uso de esteroides.