Pia analisa Rússia e projeta testes para os Jogos Olímpicos de Tóquio

A Seleção Brasileira Feminina está em San Pietro de Pinatar, na Espanha, para a reta final da preparação visando os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. Nesta sexta-feira (11), a time da técnica Pia Sundhage enfrenta a Rússia, no primeiro de dois testes que serão realizados durante o período de treinos. Em entrevista coletiva, nesta quinta-feira, a treinadora sueca analisou o time russo e mostrou que a comissão técnica fez o dever de casa.

“A Rússia é um time muito organizado e será um adversário duro. Elas jogam com muita força. O fato delas serem bem organizadas nos ajuda a aplicar a nossa velocidade e acelerar o jogo, porque se as conexões são mais rápidas, nós conseguimos quebrar essa organização defensiva. Eu acho que nós temos muitas jogadoras boas no meio-campo, se olharmos em como elas atuam nos seus clubes. Nós vamos explorar isso, assim como as jogadoras abertas. Quando elas se defendem, elas ficam muito compactas”, detalhou Pia.

Para a treinadora, os jogos contra Rússia e Canadá serão muito importantes porque mostrarão para todos o nível de competitividade em que a Seleção se encontra. Além disso, os treinos servirão para idealizar o time ideal para as Olimpíadas. Com o torneio cada vez mais próximo, é importante para Pia e para comissão técnica que as jogadoras estejam na mesma página que elas.

“Nós queremos achar uma coesão no time, por isso pretendemos utilizar titulares parecidas contra Rússia e Canadá. O mais interessante é quem virá do banco, porque esta será a jogadora que mudará a cara da partida e isso será muito importante nas Olimpíadas. Nós só temos dois dias de intervalo entre os jogos nas Olimpíadas, então algumas delas ficarão cansadas, por isso precisamos das mudanças, além da necessidade de alteração por questões táticas”, falou a técnica.

As novas jogadoras também fazem parte do processo. Pia ressaltou que a comissão já pensa no ciclo pós-Olimpíadas e o cronograma não pode parar. Angelina foi citada pela treinadora como parte dessa renovação. Trazer novas caras para o elenco é uma das prioridades da Seleção.

“Quando escolhemos jogadoras extras, estamos olhando para o futuro e, claro, caso alguém se machuque, elas estarem prontas para entrar. Quando começamos esta jornada, nós precisamos mudar. Porque para conseguir jogar uma Olimpíada bem e vencer é necessário ter prioridades. Esta lista era grande antes, mas conseguimos diminuí-la, porque é muito importante sabermos as nossas prioridades. Uma das coisas mais importante é que nós (comissão técnica) precisamos passar tudo para as jogadoras, para que elas entendam”, finalizou Pia Sundhage.

A Seleção Brasileira Feminina entra em campo, nesta sexta-feira (11), às 16h (horário de Brasília), para enfrentar a Rússia, o primeiro de dois amistosos que serão realizados no período de treinamento em San Pietro de Pinatar, na Espanha.